Meu bolo de aniversário com a Dani do ICKFD

Tão legal quando a gente consegue realizar sonhos, né? Um deles era aprender a fazer o meu próprio bolo de aniversário. O mais legal de tudo? Juntar isso com outro sonho meu: gravar com a Dani Noce, confeiteira mais fofa desse Brasil e dona do canal de culinária mais fofo também (e de um blog igualmente… fofo haha!).

Fiquei tão feliz quando ela topou que nem conseguia pensar direito no que eu queria no meu bolo. Aliás, eu não sou super fã de doces, e meus bolos de aniversário são sempre escolhidos pela minha mamãe (que aparece no vídeo <3), então meu bolo foi bem normal – exceto que feito pela Dani hahaha! – mas fazê-lo foi legal demais da conta!

Queria agradecer mais uma vez a Dani por ter topado e espero que cês gostem!

Bisous!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_tw TwitterfbFacebookvday_igInstagramytYoutube

blogloving

2 Comentários

Arquivado em Chez Noelle TV

Meus 25 anos

Eu não tive festão de 15 anos. Chamei alguns amigos (com os quais nem falo mais hoje) pra ver filme em casa e comer bolo. Sempre teve bolo no meu aniversário, fizesse chuva ou sol.

Lembro de me achar meio adultinha, entrando no Ensino Médio e com uma vida toda pela frente. Mas eu achava que a vida era ali, naquele momento, naquela hora. Meus 15 anos marcaram várias mudanças na minha vida: mudei de escola, mudei de amigos (e perdi outros), mudei minha cor de cabelo, mudei meu status no Orkut pra “namorando” e mudei MUITO dentro de mim.

Naquela época, eu não sabia pra onde ir, não sabia nada sobre quem eu era, e fiz muitas escolhas equivocadas. Meus 15 anos precederam anos de muita dúvida e dor. Não gostava de quem eu era aos 15 anos simplesmente porque não fazia a menor ideia de quem era aquela Stephanie.

Hoje eu faço 25 anos. Dez anos se passaram e hoje eu olho no espelho e sei quem eu sou. Quem eu quero ser e especialmente o que eu não quero pra mim. Eu ainda tenho um montão de dúvidas, mas uma das coisas das quais mais me orgulho depois desses dez anos é gostar da pessoa que me tornei.

E aos 15 anos eu nem imaginava essa possibilidade. De ser feliz comigo mesma, de me rodear de pessoas muito especiais, de ter um relacionamento saudável e feliz, de ter me formado na universidade dos meus sonhos, de morar numa cidade grande, de ter leitoras tão legais…

Eu lembro de querer tudo isso. De sonhar com tudo isso. Mas não achar que seria possível, não aos 15 anos.

Sei que muita gente enxerga a coisa de envelhecer pelo lado ruim. E talvez um dia eu veja assim também. Mas por enquanto eu só vejo com alegria. Especialmente nesse ano. Depois de tantos aprendizados e tantas coisas legais que me aconteceram. Foi mais um ano bem vivido. Mais um ano em que eu criei memórias, fiz amigos, fortaleci um montão de laços, descobri coisas, me descobri, me desencontrei, me frustrei, mas vivi. E se foi tão legal até agora, quero muito saber o que vem daqui pra frente.

glitter

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_tw TwitterfbFacebookvday_igInstagramytYoutube

blogloving

11 Comentários

Arquivado em Diarinho

Eu tô toda (des)aparecida!

Confesso que odeio começar posts com desculpinhas. No entanto, creio que essa se aplica e vocês vão me entender: estava com vários posts engatilhados pra essa semana. Porém, fui acometida por um dor de garganta na semana passada que virou amidalite e febre super alta nessa segunda-feira. Fui pro hospital, tomei injeção, passei a noite acordando tremendo de freio e acordando suando bicas de tanto calor. Foi o horror (nem me lembro a última vez que fiquei doentinha assim), e na terça passei o dia literamente na cama, dormindo, tomando remédios e todo esse lance do quente & frio. Hoje estou um pouco melhor, mas pretendo dormir cedo porque não quero estar assim no fim de semana :(

Isso tudo pra falar que eis o motivo do sumiço, novamente. E hoje vim só compartilhar duas coisas lindas das quais participei nos últimos meses e que me dão muito orgulho.

A primeira é esse vídeo sobre feminismo que gravei com a Gigi, do Avec Gigi, minha amiga fofa-querida-cuti-cuti lá de Curitiba, em que a gente bate um papo franco (haha) sobre feminismo. Eu falei muito do que eu penso, espero que vocês gostem! Ah, e assinem o canal da Gigi porque ela vai fazer muitos outros vídeos sobre o assunto ;)

Entrevista-021

E a outra coisa é que fui a entrevistada do mês da Valentina Mag! É uma revista digital muito boa, fofa e com fotos ótimas, e elas vieram aqui em casa e filmaram uma entrevista comigo! A matéria toda tá aqui e o vídeo tá aqui embaixo :)

.

Espero que gostem!

Bisous e até mais <3

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_tw TwitterfbFacebookvday_igInstagramytYoutube

2 Comentários

Arquivado em Chez Noelle TV

As lindas da vez

Estava eu fazendo pesquisa de imagens pra uma matéria da Glamour quando começo a ficar obcecada com algumas meninas & seus penteados. Como faz um tempo que não post inspirações por aqui, pensei “por que não?”. E já que estamos aí perto do Natal, e tem gente que curte se arrumar, fazer um make ou cabelo diferente, fica de ideia pra pasta de “vou usar no Natal”.

20676480_two-days-one-night-cannes-2014_2

Eu acho a Amber Heard uma sra. duma gata, mas eu sou obcecada nesse penteado faz um bom tempo. Ela usou em Cannes e desde então eu penso que se cabelo comprido eu tivesse, esse cabelo eu faria. E ele parece SÓ um cabelo lateral, né? Mas vocês não contavam com a astúcia dessa moça (em homenagem ao Bolaños que se foi, sdds Chaves e Chapolin)!

amber-heard-cannes-hair-t

Tchan-nan! Que detalhe mais fofo e charmoso o dessa trança, né? Meninas de cabelos longos, tentem! Imagino que um médio também dê pra fazer, então todas tentaremos :)

Outra coisa que eu amo e sempre faço: batom vermelhão com make iluminado e muitos cílios! Ah, o batom né? É da Nars, mas é edição limitada, um Velvet Matte Lip Pencil de nome Mysterious Red!

Margot+Robbie+Australians+Film+Awards+Benefit+W57n3buliY-l

Essa é a Margot Robbie, que eu conheci por causa de Pan Am (alguém assistia? Amava!), mas que ficou mais famosa por fazer a esposa do personagem do Leonardo DiCaprio em “O Lobo de Wall Street”. Ela é uma linda, sempre usa umas roupas maravilhosas, mas esse cabelo… <3

Margot+Robbie+Australians+Film+Awards+Benefit+rMzxpJuyR3jl

Assim como a amiga, rola uma trança esperta e que dá um charme fora do comum. Gente, queria muito ter essa habilidade com as mãos pra fazer essas tranças lindas todas. E eu vejo no YouTube e blé, continuo não sabendo fazer, olha que tristeza.

selena-gomez-2014-ama-updo-red-lips-w540

E por último a Selena Gomez, que tava com uma maquiagem bela e chiquérrima, esse brinco escândalo e um cabelo gorgeous! Achei muito belo o coque baixo gordão, com essa risca beeem demarcada. Pra nós que temos pouco cabelo, vale usar um aplique pra dar esse efeitão. Eu confesso que acho liiindo nas pessoas, mas em mim… não tanto #confissões. Quem sabe um dia eu não ame mais, né?

Selena+Gomez+Arrivals+American+Music+Awards+CdoU2MVFjcFl

E aqui mais detalhes desse coque-uau. O vestido também é muito uau, né? A moça tá um arraso!

Bisous e até mais :)

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_tw TwitterfbFacebookvday_igInstagramytYoutube

5 Comentários

Arquivado em As Lindas, Inspiração

Sobre sentir saudades de casa

Eu morei no interior, onde nasci, até meus nove anos. Foi quando meus pais se mudaram pra Goiânia, e por lá ficamos dois anos. De uma cidade de mais ou menos 80 mil habitantes fui pra uma que hoje ocupa uma posição entre as 10 cidades mais populosas do Brasil. Acho que foi aí que o bichicho da cidade grande nasceu em mim. Quando voltamos pro interior, eu já havia me decidido: ia morar em uma cidade tão grande ou ainda maior do que aquela, e fiz questão de avisar aos meus pais, haha. Eu era uma criança-mini-adulta muito da chata, imaginem!

sitioo pôr do sol no sítio 

Mas desde meus 11 aninhos eu falava que ia morar numa cidade grande. Aos 16, decidi que seria São Paulo. Aos 19, me mudei, de mala, cuia, sem dinheiro, muitos sonhos e uma vaga na USP. Cinco anos se passaram desde então. Nesses cinco anos meu amor por São Paulo cresceu. E inacreditavelmente meu amor pela minha cidade também. Eu, que empinava o nariz pra falar que não gostava de lá, que demorava mais de dois meses pra fazer uma visita, que não via graça em nada daquilo.

São Paulo é minha casa, meu lar. Mas de uns tempos pra cá, eu aprendi que minha cidade natal também é. Não precisa deixar de ser. E eu aprendi a amar minha cidade e isso nada tem a ver com nostalgia, haha. Não são as lembranças, a infância ou os amigos de longa data (que nem moram mais lá também) que me fazem querer voltar, que me fazem ter saudades de casa. É a maneira como eu me sinto quando estou lá. E é a noção de realidade que me coloca com os dois pés no chão, de preferência descalços, na grama.

maeminha mãe <3

Quando eu estou lá, minha mãe e eu visitamos meus parentes, comemos pizza, vemos filme no netflix, caminhamos no Zerão (o lago da cidade!), vamos comer tapioca e tomar café e falar de trivialidades na casa da minha tia, fazemos unha por 20 reais, tomamos milkshake de leite ninho, passeamos de moto (minha mãe dirige uma moto!), vamos nas quermesses das igrejas, vamos dar um oi pra minha avó do lado do meu pai e filar mais umas xícaras de café (que minha avó faz questão de falar que é coisa da família, essa minha vontade doida de tomar café o tempo todo). Eu como a comida da minha avó (mãe da minha mãe e minha madrinha), que é a mais gostosa que eu já comi no mundo, cruzo quase a cidade toda andando, me maravilho com o pôr do sol que é sempre tão lindo, fico chocada com as ruas desertas no sábado à tarde, tomo  mais café sentada na varanda de frente pro quintal enquanto leio um livro ou escrevo pro blog, ouço minha prima contar da vida dela, ouço minha avó contar da vida dela, ouço a minha mãe contar da vida dela…

caféo café da minha tia e o grôstoli, um docinho italiano que me avó amava, quando tava vivo :)

Nada disso parece “grandes coisas”. São trivialidades, cenas do cotidiano, coisas sem importância, né? Pra mim não são mais. E acho que é por isso que eu me apego tanto a eles. Que eu valorizo cada ida que eu volto pra casa, que eu sinto que volto renovada (e que poderia passar mais alguns dias por lá…).

De uns tempos pra cá eu senti que a cidade grande tava me sugado. E não é culpa dela, é uma exigência. Todo mundo aqui parece viver nesse redemoinho de compromissos e afazeres e horários apertados e trânsito e coisas pra entregar e metas e títulos e valores e cargos e status, e a gente tem que fazer um esforço tremendo pra sair do redemoinho e viver um dia depois do outro e não atropelando um dia depois do outro. A gente tem que fazer um esforço tremendo pra enfiar na cabeça que as coisas mais importantes da vida não são coisas, por mais clichê que soe. Às vezes eu tenho a sensação de que São Paulo é boa com a gente se a gente for bom de volta. Se a gente não entrar nessa pira do dinheiro do status e de estar sempre ocupado. Eu, que achava o máximo essa coisa de ser workaholic e responder a todos os ‘como cê tá?’ com um ‘na correria, claro’, não vejo mais graça no ‘não ter tempo pra nada’. Não que de repente eu passe a ter tempo pras coisas, mas eu só assumi pra mim mesma que não é isso o que eu quero.

E que às vezes, a gente trabalha com uma coisa legal, num lugar legal, fazendo uma coisa que supostamente um monte de gente queria estar fazendo, e isso é muito incrível, mas se deixar levar por isso é entrar no redemoinho. É uma loucura. É tirar os pés do chão por uma coisa que nem ao menos é palpável. E por mais que tudo isso sejam experiências ótimas e aprendizados maravilhosos, tive que aprender que meus pés precisam estar no chão. É muito fácil pirar. E eu já pirei. As oportunidades pra embarcar nas loucuras estão todas aí. Estão todas aqui. Não nos faltam chances de achar que valemos mais que outra pessoa. Basta acreditar. Basta bater os sapatinhos de glitter um no outro e de repente “bum”, estamos num mundo mágico. Mas até a Dorothy aprendeu que não há lugar como o nosso lar. E eu aprendi. E passei a amar. E passei a entender que por mais que as luzes da cidade sejam brilhantes e lindas, eu tenho que tomar cuidado pra não me cegar. E não ser tomada por essa doidera toda. Preferir experiências a aparências. Preferir pessoas a coisas. Preferir sentir, ao invés de ter. Escolher ser feliz na vida real.

Quero sempre ter saudades de casa. E querer voltar. E querer fazer todas aquelas coisas aparentemente sem importância. Pra eu saber que não tô no redemoinho. Pra eu ter onde pôr meus pés no chão e deixar minha cabeça voar. E pra eu saber dar importância ao que realmente importa.

tee essa sou eu :)

Bisous!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_tw TwitterfbFacebookvday_igInstagramytYoutube

16 Comentários

Arquivado em Diarinho

Então é Natal… ou quase!

Captura de Tela 2014-12-01 às 01.14.31

Se tem um feriado que eu amo muito, ele atende pelo nome de Natal. Não sei porque, não me lembro de histórias comoventes que aconteceram comigo nessa época e sempre ganhei só um presente, porque meu aniversário é dia 17, Natal é menos de dez dias depois e dinheiro não dá em árvore, né migos?

Mas eu tenho essa fascinação pelo mês de dezembro, pela noite de Natal, pelas decorações, pela comida, pelo clima que parece que muda, pelo jeito que as pessoas ficam, pelo espírito de gratidão e compaixão que se espalha (e que poderia existir no resto do ano também!) pelas ruas…

E tem as férias, né? Quando a gente é criança, é o começo de longos meses de ócio e sessão da tarde no sofá, e quando a gente cresce são duas semaninhas rápidas, rasteiras, mas essenciais pra voltar com tudo pro expediente no ano que vai nascer (rs).

especialnatal

E aí fiquei com vontade de trazer essa minha paixão pelo Natal aqui pro blog. Espero que vocês gostem! Pra começar, uma lista das 24 coisas (uma pra cada dia que antecede o Natal!) pelas quais estou muito ansiosa nesse mês de Dezembro:

  1. Presépios! Minhas duas avós sempre montam e eu acho uma graça. Ainda vou ter um só meu, quem sabe ano que vem;
  2. Panetone – inclusive os com uva passas, juro!
  3. Fazer rabanada pra ceia. Eu e minha mãe começamos a fazer juntas há alguns natais atrás e já virou nossa tradição. É minha comida preferida de Natal;
  4. Tomar chocolate quente na manhã de natal, mesmo que faça calor, haha. Não posso tomar muito leite, então aproveito essas ocasiões especiais, né #desculpinhas;
  5. Fazer uma playlist só com músicas natalinas e ouvir todos os dias e ainda colocar pra tocar em casa na véspera de Natal;
  6. Todos os “Amigos Secretos” que eu puder participar. Acho tão divertido (e um pouco constrangedor, mas até isso é engraçado);
  7. Trocar presentes. Alguém não gosta?
  8. Escrever cartões. Quando eu morava em Goiânia, minha mãe costumava fazer nossos próprios cartões, super DIY ela, e eu sempre quis fazer e nunca fiz. Até agora!
  9. A cesta de Natal da firma! Isso porque eu nunca tive cesta de natal, mas sempre cobicei as alheias. E esse ano chegou a minha vez, uhul;
  10. Festas & jantares de confraternização – os do trabalho & os dos amigos <3;
  11. Maratona de filmes natalinos – vou fazer a minha lista e postar logo mais por aqui;
  12. Cerejas. Uma das minhas frutas preferidas e graças ao bom Deus a minha sogra sempre compra pra ceia de Natal, fazendo a alegria dessa menina aqui;
  13. Minha festa de aniversário, que não tem nada a ver com Natal, mas esse ano vai ser 5 dias antes dele e provavelmente a mais especial. 25 anos, né gente?
  14. Madrugadas jogando videogame com o namorado, porque a gente sempre aproveita esse folga estendida pra botar em dia nossos jogos (mentira, são só os meus, porque o David joga certinho e rápido e não fica com jogos acumulados);
  15. Visitar minhas tias no interior. Minha mãe sempre aproveita quando eu tenho mais tempo em Mogi pra me levar ver todo mundo que eu não consigo ver o ano inteiro. E eu amo!
  16. Piscina em dias de semana. Calor, folga e piscina. O que mais posso querer?
  17. Voltar pra minha cidade. Ultimamente tenho sentido muita falta do interior e ainda vou escrever sobre isso aqui, mas mal posso esperar pra montar minha mala de duas semanas pra ficar por lá;
  18. Passar mais tempo com a minha mãe <3
  19. Maionese & arroz com passas & lasanha, hihi :D
  20. Ver as decorações da cidade e das casas das pessoas (dentro e fora, haha!);
  21. Usar vermelho na noite de Natal (e possivelmente no dia seguinte, porque nunca é demais);
  22. O baralho e o cafézinho do dia 25 com a família do David;
  23. Jogar Imagem & Ação com os meus amigos;
  24. Ficar um tempo com todo mundo que eu amo, seja na ceia, seja no meu aniversário, seja nos dias de folga do trabalho. Nada me deixa mais recarregada e feliz do que estar perto das pessoas que me fazem bem :)

E vocês, tão ansiosas pelo que nesse Natal?

Bisous e boa semana!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_tw TwitterfbFacebookvday_igInstagramytYoutube

6 Comentários

Arquivado em Diarinho

Pra ouvir e se encantar

Se eu bem me conheço, já devo ter falado que amo X Factor pelo menos umas dez vezes aqui no blog. E sou tão viciada que assisto as versões UK e USA, torço, choro, me descabelo, sigo no insta e depois acompanho o trabalho.

E não é que uma das minhas “concorrentes” preferidas lançou CD esse ano, pra minha alegria? E o mais legal é pensar que vi desde o comecinho, desde a primeira audição, os “bottom 2″, as críticas… Parece que a gente faz parte, nessas horas. Mentira, vai. O mais legal mesmo é poder ouvir um CD todinho feito por alguém que você queria que realizasse aquele sonho. Compro no iTunes com gosto mesmo, como se fizesse parte daquilo tudo.

ella

ella2

Ella tem 18 aninhos (ela nasceu em 96!), mas gen-te, o que é a voz dessa moçoila? Quando eu assisti a audição dela, na temporada 9 do X Factor UK, eu chorei. Foi tão intensa e bonita e sincera que não foi possível segurar a emoção. Desde o começo eu torcia pra ela e pro James Arthur (o ganhador daquela temporada), e ela me encantava demais. Os figurinos, a vibe meio Adele, meio anos 60, a voz, claro, o jeitinho e o sotaque inglês hihi, tudo me cativou. Ah, e ela usava tênis com vestido, olho gatinho e cabelo bufante, amigos. Como não amar?

Essa versão é um escândalo de tão maravilhosa! 

Segura esse forninho, sociedade! <3

 E aí esse ano ela lançou o Chapter One, o primeiro CD, que eu achei simplesmente espetacular. Ela tem uma voz tão rica, quando eu ouço eu sinto muita coisa, não são só umas musiquinhas que não me dizem nada, sabe?

Aqui embaixo fiz uma playlist com algumas das minhas preferidas (e um cover lindo de morrer). Glow & Ghost não saem do meu repeat, sempre me deixam num estado meio maluco de transe, haha. Mas o CD todo é o máximo, podem comprar. Ah, e tem no CD as duas músicas que ela apresentou no X Factor, Missed e Believe ;)

Ai gente, num guento, essa mulher é destruidora mesmo! <3

Ella no instagram: @Official_EllaHenderson

Ella no YouTube: EllaHVEVO

Espero que vocês gostem dela tanto quanto eu!

Bisous e boa quinta!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_tw TwitterfbFacebookvday_igInstagramytYoutube

5 Comentários

Arquivado em Musiquinhas

Como andam meus projetos (e a vida)?

Alguém já com saudades do feriado? Pois eu sim! Fui pra Ilha do Cardoso, na Cananéia, como contei no post passado, mas vou deixar pra falar dessa experiência maravilhosa em outro post (aka assim que a minha amiga-gênia Babi editar as belas fotos que tirou por lá). Hoje eu queria contar um pouco de como estão os dois projetos que empreendi nesse segundo semestre.

maquina

O primeiro deles, o #PoupaNoelle (clica aqui pra ler), começou em Agosto, e a parte I da proposta está quase chegando ao fim: quatro meses sem comprar nada de roupa, sapato, acessórios, maquiagem e livro.

Mas eu preciso ser sincera com vocês. Saí da linha nesses quatro meses. Numa delas comprei um pijama (pra festa de aniversário da minha chefe) e na outra comprei um top e um elástico de cabelo desses tipo anos 80 (pra festa de aniversário de uma amiga linda). Também viajei, fui pra Porto Rico, e no duty free comprei uma máscara de cílios da Lâncome que queria muito experimentar. 33 dólares, a bichinha.

Não sei se é porque eu estou trabalhando num ritmo frenético e voltando mais vezes pra minha cidade, mas não estou sentindo tanto assim a privação de não comprar. Claro que eu entro na Topshop e quase choro, porque tudo é lindo, mas tá sendo diferente da primeira experiência. Tem outra coisa também: antes eu não tinha vários compromissos financeiros que eu tenho hoje (oi, aluguel!), que são minha prioridade e que realmente levam boa parte do meu salário todo mês. Então além de me forçar a não comprar nada, não é como se eu tivesse rios de dinheiro pra gastar, mas não estou gastando. Não sei se deu pra entender, mas eu quero ser muito verdadeira com vocês e se está sendo “menos doloroso” não é porque eu estou mais madura ou consciente, mas também por falta de opção. Como diz minha amiga Tamara, “é inacreditável como a gente economiza quando não tem dinheiro!”.

Por outro lado, ainda preciso me organizar melhor com meus outros gastos. Os restaurantes são um deles! Verdade seja dita, gente. Eu amo sair pra comer com meus amigos e namorado. A gente até tem cozinhado mais por aqui, de fato, mas eu ainda preciso controlar mais. Por isso estou pensando em estender o projeto, depois de dezembro (porque é Natal e meu aniversário!), e pegar muito mais firme nessa frente dos supérfluos de todo dia e das saidinhas com amigos. Até porque ano que vem é um ano importante pra mim (na numerologia, e eu sou dessas que acredita sim!), e eu quero e preciso e vou mudar várias coisas que me incomodam. Sendo essa uma delas.

Já meu outro projeto, o #25antesdos25, esse tava indo devagar, devagar, mas aí na minha viagem consegui fazer várias coisas da minha lista. O mais legal de tudo, pra mim, é que meus amigos entraram na pira junto comigo e ficam sugerindo coisas ou jeitos de eu realizar meus “desejos”. Ah, e o fato de fazer algo pela primeira vez, comemorando aquilo, é um troço muito gostoso. Sei lá, pra mim era tipo me dar um troféuzinho, que só eu vejo, depois de cada conquista, e colocar numa parede imaginária, ao lado das outras coisas que quero fazer antes dos meus 25 anos.

Sou uma pessoa muito ligada em rituais, comemorações, passagens, por isso é tão importante pra mim esse projeto. Chegar aos 25 anos não me assusta em termos de idade, de envelhecer, de estar mais perto dos 30, etc, mas me aflige o fato de chegar aos 25 sem ter feito coisas especiais pra mim. E ainda bem que estou realizando essas coisas. E por mais simples que elas sejam, não consigo não sentir que se eu tenho uma vontade e eu me esforço, consigo realizar. Dá ânimo, dá confiança pra seguir em frente e ir atrás de vontades ainda maiores.

Meu segundo semestre tem sido bastante turbulento, e tenho cada vez mais parado pra pensar sobre o que eu quero pra minha vida. Não sei se tem a ver com a fato de completar um quarto de século, ou se é pira minha mesmo, mas sinto um misto de ansiedade com angústia pelo ano que vem. Como se as coisas todas que eu quero estivessem lá, mas eu não tivesse muita certeza de como chegar a elas. E estou quebrando a cabeça pra descobrir esse caminho.

Aproveito pra agradecer a cada um que entra aqui, comenta ou não, mas me lê. Fazer o Chez Noelle é o maior prazer, escrever por aqui é sempre muito recompensador e ser eu mesma e ainda receber todo o retorno que eu recebo de vocês é algo que não consigo mensurar. Só sei que é um amor gigante, é uma felicidade enorme e um apego por esse espacinho cada vez maior. Obrigada por fazerem minha vida mais feliz <3

marilyn

Tô sentimental, perceberam, né? Mas chega por hoje.

Bisous e tchau!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_tw TwitterfbFacebookvday_igInstagramytYoutube

16 Comentários

Arquivado em Diarinho

Vou ali e já volto!

Um post muito rápido (estou escrevendo enquanto descemos nossas coisas pra van que vai nos levar ao nosso destino!) pra dizer que viajo hoje e volto só domingo, e vou ficar completamente offline! Uma das minhas vontades do #25antesdos25 (clica aqui pra ver o que é) :D

Aliás, uma não: duas! Vou pra Ilha do Cardoso, na Cananéia, uma ilha (rs) quaaaase no Paraná, mas ainda em São Paulo, onde não tem energia de noite e não pega sinal de celular. E eu vou ao lado de amigos muito muito queridos. Bingo, outra vontade do meu #25antesdos25, a de viajar com amigos, uma coisa que eu ainda não tinha feito, também.

10387407_767080426671240_4698993284227946067_nmeus companheiros dessa viagem e melhores amigos do mundo <3

Enfim, só pra explicar o sumiço e pra contar que estou realizando coisas da minha listinha, uhul! E depois conto tudo da viagem, prometo :)

Aproveitem o feriado pra quem tem feriado e bom fim de semana! Ah, e vai lá ver meu vídeo novo, tá? <3

Bisous!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_tw TwitterfbFacebookvday_igInstagramytYoutube

4 Comentários

Arquivado em Diarinho

4 maquiagens super fáceis de olho! {Chez Noelle TV}

Ai, eu sei, eu sei. Estou me saindo uma blogueira de meia tigela. Eu gostaria de ser mais presente, de estar aqui to-dos os dias, de ter vídeo novo to-da semana, mas o momento na minha vida não é dos mais favoráveis. E infelizmente são coisas muito pessoais, que não me sinto bem em compartilhar com todo mundo que me lê, por mais que seja sempre legal abrir meu coração aqui. Enfim, sigo com culpa & com o desejo de ser mais presente, vou até pedir isso de Natal, haha!

Maaaas, voltando ao motivo do post: tem vídeo novo no canal. Novo naquelas: gravei há um tempão, mas tinha perdido a filmagem, não sabia onde tinha salvo, foi uma loucura, e depois meu final cut começou a travar. Demorou, mas aqui está. E eu ainda estou com meu cabelo natural no vídeo, mas não abandonei a ruivice não ;)

Espero que vocês gostem!

E qualquer coisa, me falem!

Bisous!

6 Comentários

Arquivado em Chez Noelle TV