Os outros

Talvez seja só eu. Ou talvez não. Mas se eu pudesse mudar uma coisinha só na minha personalidade seria isso. Por que raios eu tenho que querer agradar todo mundo? E por que eu coloco o comentário negativo, o dislike, o ‘eu não gosto disso’ sempre com mais peso na balança, mesmo que a quantidade de comentários legais, de likes e de ‘gosto disso’ seja infinitamente maior?

Eu tenho essa vontade de ser querida por todos. De ser ‘unanimidade’, mesmo que Nelson Rodrigues tenha dito uma frase muito esperta e sensata sobre o assunto. E de agradar. Poxa, como eu quero agradar às pessoas ao meu redor, às que me lêem… Eu posso estar completamente satisfeita com algo que tenho feito. Mas basta uma coisinha para que pôr tudo em questão. E eu começo a me perguntar se não estaria aquela pessoa carregando a verdade absoluta, se ela não teria mais razão do que todas as outras que estavam me dizendo ‘continue com o bom trabalho’. Eu sei, parece meio ridículo. Talvez seja mesmo. Mas atire a primeira pedra quem não é um pouco ridículo também.

A equação fica um pouco mais complexa quando a gente junta esse traço da minha personalidade com outro muito, muito forte: a minha sinceridade. Eu gosto de falar o que eu penso, dar a minha opinião e não sou do tipo que prefere ficar calada pra não causar polêmica. Sou o contrário disso tudo.

outros

Como é que se junta alguém que fala o que pensa com alguém que quer muito agradar a todos? Me diz? A conta não fecha, óbvio. Será que isso pode ser explicado pelo meu sol em Sagitário e minha lua em Leão? E um ascendente em Peixes, pra colocar mais sabor nessa misturinha (olha eu num momento muito astrológico). No fim do dia, eu falo o que eu penso e não deixo de dar a minha opinião, mas me culpo por ter feito isso quase sempre, fico me perguntando ‘será que eu devia mesmo ter feito isso’?

E olha que eu realmente não me incomodo com gente que me critica e fala o porquê. Eu aprecio. Quando alguém me diz ‘acho que isso que você faz não é legal’ ou ‘você sabe que você não é boa nisso’ e me explica o porquê, eu gosto. Porque eu consigo entender e tentar melhorar e aprender com aquilo. Mas é claro que a doida aqui dá mais ouvidos e se machuca mais com gente que simplesmente não quer me ver melhor.

Sei que agradar a todos é um negócio meio que impossível (embora eu conheça umas pessoas que eu acho que se não agradam a todos estão no caminho), e que essa busca por aceitação não é saudável. Eu sei disso. Sei também que há mais pessoas do nosso lado do que contra nós, mais pessoas que gostam de nós – e são elas que importam, afinal – do que pessoas que nos odeiam, e que os haters gonna hate hate hate e eu devia shake shake shake it off. Mas se fosse simples não chamava “Vida”, chamava “Jogo da Velha”.

Eu quase sempre fico meio mal, depois falo disso com meus amigos, com o David, volto a ser racional, vejo o lado bom da vida, e fico bem. Mas escrever é um jeito diferente de lidar com meus sentimentos e pensamentos estranhos. Parece que quando eu finalmente me sinto pronta pra escrever, é quando eu tô pronta pra elaborar, entender e saber lidar com aquele sentimento. Como se fosse um ritual em grupo de exorcismo daquilo. Ou disso, no caso. Não que depois eu nunca mais pense naquilo (quem dera!), mas me faz bem. Me ajuda.

Eu queria ser essa pessoa que diz ‘eu não ligo para o que as pessoas pensam de mim’. Nossa, como eu queria. Ou como a minha amiga Babi pensa: ‘se essa pessoa não gosta de mim, eu não vou perder tempo com ela’. Seria falta de amor próprio? Talvez. Talvez quanto mais a gente se sinta satisfeita com quem a gente é, menos a gente queira satisfazer o outro. Ou talvez seja narcisismo, essa coisa de ser amada por todos. Ou um pouco dos dois. Um resquício da vontade de ser uma garota popular na escola.

rosto

Toda vez que eu escrevo eu penso que queria ter uma resposta. Ou ao menos um norte. Nesse caso, eu não tenho nada. Tenho esse sentimento e um vazio na minha frente. Seria tão lindo se a gente fosse mais racional e entendesse o real valor das coisas. Mais vale alguns amigos maravilhosos e verdadeiros do que um milhão de pessoas que não vão estar lá quando a gente mais precisar. Mas agora mesmo, enquanto eu escrevo isso, eu penso ‘mas que legal seria um milhão de amigos verdadeiros’. Utopia.

Qual o segredo? Como é que se constrói esse escudo contra o baixo-astral?

Acho que no fim das contas eu tenho que colocar um post-it mental bem amarelo pra me lembrar de me sentir confortável com as escolhas que eu faço. É sobre elas que eu tenho controle. Isso eu posso escolher. Isso só depende de mim. Os outros não estão sob minha responsabilidade. Talvez eu nunca acorde e sinta que não preciso agradar ninguém. Mas talvez, de tanto ler esse post-it grudado na minha mente, eu me convença um pouquinho mais e me machuque um pouquinho menos, todo dia. Por que os outros são os outros. Ou deveriam ser. E só.

Bisous cheios de amor,

Ó, se você não tiver respondido a pesquisa para as leitoras e os leitores do blog, clica aqui e responde <3

beda

 

 

em Abril tem post todos os dias!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_twtwitterfbfacebookvday_iginstagramytyoutube

snap2

FacebookTwitterTumblrGoogle+FlipboardCompartilhe :)

8 Comments

Filed under Sentindo

Coisas que vocês não sabem sobre mim

Uma pequena anedota para vocês: há algum tempo eu havia me proposto a gravar o tal vídeo ’50 fatos sobre mim’. Anotei todos, numa compilação de alguns dias até ter 50 fatos interessantes o suficiente. Me preparei. Arrumei a câmera – na época eu gravava com o celular ainda – por um tempão, fiz vários testes pra ver onde eu ia sentar, arrumei o cenário, me sentei e mandei bala. Eu acho que falei por uns 50 minutos, não estou exagerando. Daí eu parei pra beber água, eu acho. Peguei o celular, que estava pegando fogo de tão quente e… ELE ESTAVA DESLIGADO. Toda a minha falação tinha sido pro além e dela restaram apenas os 8 minutos iniciais. O resumo da história é que eu fiquei com muita raiva, peguei um bode gigante desse vídeo e decidi que ficaria muito tempo até gravar de novo.

E não, a hora não chegou. Mas fiquei com vontade de fazer uma listinha – bem menor do que 50 itens – de coisas que talvez vocês não saibam sobre mim. Eu gosto de listas. Acho que isso vocês sabem ;)


15-fatos-sobre-mim

1. Nasci dia 17/12/89, um domingo, dia em que o Fernando Collor foi eleito, AFF. Meus pais estavam se preparando para votar quando PIMBA, a bolsa estourou.

2. Não sou ruiva natural, mas nasci ruivinha, ruivinha! Depois meu cabelo ficou bem loiro, muito claro, e com uns 11 anos ele começou a escurecer. Hoje minha cor sem tinta nenhuma é castanho claro.

3. Noelle não é um sobrenome. É meu segundo nome, que veio do livro “O Outro Lado da Meia-Noite“, do Sidney Sheldon, da personagem Noelle Page. Minha mãe só me deixou ler quando eu já tava crescidinha, acreditam? E Stephanie é por causa da princesa mesmo, Stéphanie de Mônaco (o dela com acento).

4. Já pintei meu cabelo de preto e já fui meio que gótica, gótica suave, sabe? E também fui meio emo, mas eu não gostava das músicas, só do estilo de roupa, HEHE. Poser?

5. Ganhei meu primeiro computador aos 14 anos, e desde então eu escrevo na internet. Já tive blog com fundo preto e cursor de glitter, já tive fotolog, já tive livejournal e já tive blogspot.

6. Dei meu primeiro beijo aos 11 anos, mas só fui namorar com 15 anos. Depois de quase três anos com meu primeiro namorado, eu conheci o David e o resto vocês já sabem <3

7. Estudei minha vida toda em escola pública, fiz um ano de cursinho com bolsa, no Anglo, e passei na USP, onde me formei em Jornalismo, na Unesp e na Unicamp.

8. Já me mudei 14 vezes! E morei em Goiânia durante dois anos. Morro de saudades e foi o lugar mais legal que já morei :)

IMG_4758

9. Minha mãe é muito brava! E quando eu tinha uns 12 anos ela assinava a revista Nova, que vinha com uma seção de “Sexo Lacrado”. Ela até me deixava ler a revista (porque desde pequena eu devorara toda e qualquer coisa com letras impressas, haha), mas me proibia de ver essas páginas. Eu tinha tanto medo dela descobrir e ficar brava que eu nunca nem espiei essas páginas! Só fui ver mesmo do que se tratava quando já tava maior, com uns 17/18 anos, no consultório do meu ginecologista, haha. Tá vendo, mãe, como fui obediente?

10. Moro em São Paulo, em um apartamento com mais quatro meninos (Nicolas, Simon, Hugo e Alex) e dois gatos, o Michelangelo e o Gregório.

11. Até meus 16 anos eu queria ser diplomata. Já quis ser juíza e cientista também. Entrei em Jornalismo querendo cobrir política ou cultura, e nunca pensei em trabalhar com moda.

12. Sou filha única e meus pais se separaram depois de 20 anos juntos, quando me mudei pra São Paulo.

13. Fiz teatro durante quatro anos, lá em Mogi Mirim, até meus 15 anos. Também já fiz ballet, dança de rua, dança do ventre e dança típica francesa.

14. Ganhei meu primeiro livro aos 8 anos de idade, chamado “A Charada do Sol e da Chuva“, da minha tia Nina, mas eu sempre fui ratinha de biblioteca e tenho várias memórias de ficar tardes inteiras lendo nas mesas de madeira.

15. Conheci uma menina pela internet e ela tinha um blog com um layout com umas imagens de clipes (desses de papel, mesmo), e nos posts ela contava sobre os tais clipes que achava na rua. Meu ex-namorado me apresentou, e eu não acreditava na peculiaridade daquela menina. Nos conhecemos, vim pela primeira vez pra São Paulo pra visitá-la, trocávamos cartas com regularidade falando sobre como a gente não sentia que pertencia ao lugar que estávamos  e sonhávamos que um dia moraríamos na mesma cidade e faríamos várias coisas juntas e finalmente encontraríamos nosso espaço. O nome dessa menina é Babi, e somos amigas há dez anos. Ela é um dos motivos pelos quais eu amo a internet e sei que coisas muito lindas e relações muito fortes podem ser construídas por aqui <3

Não lembro se já contei alguma dessas coisas aqui, mas acho que a maioria não! Espero que tenham gostado :)

Bisous mil, amo vocês!

PS: Agora tem mais um aplicativo chamado Periscope, esse é de transmissão ao vivo, ligado com o twitter. É bem legal, quem tiver, o meu usuário é @hello_sunshine :)

Ó, se você não tiver respondido a pesquisa para as leitoras e os leitores do blog, clica aqui e responde <3

beda

 

 

em Abril tem post todos os dias!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_twtwitterfbfacebookvday_iginstagramytyoutube

snap2

10 Comments

by | 25 de abril de 2015 · 01:53

Enquanto isso, no alto do Copan…

Quem assistiu ao meu vídeo “19 Perguntas para 2014” soube desse projeto superlegal que participei ano passado: um reality show produzido no Brasil para a televisão gringa, para promover o turismo no Brasil entre os jovens lá de fora. Foi uma das coisas mais inusitadas e mais legais que eu já fiz. Nunca imaginei ser convidada pra um projeto assim, e foi demais! Não tenho palavras, na real.

O mais inusitado de tudo? A minha convidada, a pessoa para quem eu ia apresentar o Brasil – no caso, São Paulo – era a Andy Torres, do Style Scrapbook, uma das primeiras blogueiras que conheci lá em 2010, quando comecei a descobrir esse mundo de blogs. E eu sempre havia sido fã dela, adorava tudo o que ela usava, as fotos eram lindas e eu sentia que ela era uma pessoa muito firmeza. Mas nunca, em mil anos, podia imaginar que um dia eu iria conhecê-la e trabalhar com ela! E a equipe fez segredo até o primeiro dia de filmagem – no SPFW do ano passado, em Abril – e eu só fiquei sabendo que seria ela no caminho para o aeroporto. Imaginem a minha cara e a minha alegria! Nem eles sabiam que eu a conhecia, foi uma surpresa pra todo mundo :)

Captura de Tela 2015-04-23 às 02.59.06

Mas eu fiquei bem de boa, fingi que era uma pessoa muuuuito séria e só fui contar pra ela que eu era fã quando a gente já tava bebendo drinks juntas e dançando no Bar Secreto, lá pelo quarto dia de filmagem. Também não vou esquecer de como ela ficou feliz, quando eu contei do primeiro post que eu vi (esse aqui!) no blog dela, do blazer verde que ela estava usando e que eu a acompanhava desde então. Ela ficou genuinamente feliz, tipo de reação que eu tenho quando alguém conta que lê o blog, e fui surpreendida novamente quando, já de volta a Amsterdam, a Andy fez esse post aqui.

Se vocês não a conhecem, indico fortemente. No tempo que passamos juntas – foram poucos dias, mas intensos – conheci muito dela e da história dela, e só a admirei mais ainda. Ela foi pra Holanda morar com o então namorado, Richard, e o sonho dela era escrever sobre moda. Mas ela é Mexicana, não sabia falar nem escrever holandês, então ninguém dava oportunidades a ela. O que ela fez? Criou um blog! Hoje ela vive disse, roda o mundo, é super profissional e tem os dois pés no chão.

E uma das nossas ‘tarefas’ no reality foi fazer um ensaio fotográfico (!) clicado pelo Felipe Abe (!!) usando roupas do Walério Araújo (!!!) no alto do Copan (!!!!). Só podia ser brincadeira! Mas não era. Foi de verdade. E foi muito legal. Hoje eu vou mostrar o ensaio pra vocês, e em outro post conto tu-do sobre essa experiência, inclusive com um roteiro dos lugares que fomos, que são imperdíveis aqui em São Paulo.

 photo noelle-e-andy10.jpg

 photo noelle-e-andy09.jpg

 photo noelle-e-andy05.jpg

 photo noelle-e-andy03.jpg

 photo noelle-e-andy06.jpg

 photo noelle-e-andy08.jpg

 photo noelle-e-andy04.jpg photo noelle-e-andy07.jpg

 photo noelle-e-andy02.jpg

andy-e-noelle-gif

 

E aí, gostaram? Confesso que eu não sou nem um pouquinho modela, ainda mais perto da Andy maravilhosa, mas nos divertimos fazendo e gostei do resultado. E as roupas? <3

Espero que tenham curtido! Um muuuito obrigada ao Fe Abe, que fez as fotos, a Laura Artigas, que me chamou pra esse projeto e pro Dani Alfaya, que dirigia e filmava a gente todos os dias! Saudades! E um “I miss you, Andy!” ;)

Bisous!

Ó, se você não tiver respondido a pesquisa para as leitoras e os leitores do blog, clica aqui e responde, se tiver um tempinho :) 

PS: Agora tem mais um aplicativo chamado Periscope, esse é de transmissão ao vivo, ligado com o twitter. É bem legal, quem tiver, o meu usuário é @hello_sunshine :)

beda

 

 

em Abril tem post todos os dias!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_twtwitterfbfacebookvday_iginstagramytyoutube

snap2

3 Comments

Filed under Diarinho, Look du Jour

Conversando um pouquinho

Esse blog existe há mais de dois anos. Considero que nós, eu e vocês que me leem, já somos amigos. Íntimos. Vocês sabem umas coisas de mim que nem pessoas próximas sabem – daí elas leem aqui e ficam sabendo também. Por isso me sinto confortável em ser muito sincera com vocês, do mesmo jeito que sou com todos os meus amigos. E se vocês tiverem reparado, eu tô numa busca interior. Tô cada vez mais me perguntando o que quero fazer daqui pra frente, como fazer, como chegar nesse lugar que eu quero estar ali na frente, todos uns questionamentos. É isso, tô numa fase de questionamentos. Mas prefiro assim. Prefiro perguntas a certezas. Já tive umas fases de certezas que não deram muito certo. Deve existir algum provérbio sobre certezas, com certeza (RÁ!).

maquina de escrever

Um desses questionamentos envolve o blog. São vários questionamentos, no caso. De uns tempos pra cá tenho me sentido mais à vontade pra falar de temas que antes eu não falava tanto, tenho ficado mais soltinha pra falar de coisas minhas, bem íntimas, os tais textões que muitos de vocês colocaram na pesquisa

que adoram. Só que eu não sou só essa pessoa também. Eu gosto de outras coisinhas também. Gosto de falar de beleza, de moda, de seriado, enfim, cês sabem. Mas gente, logo depois que eu publico um texto desses que eu me abro muito, eu fico travada. Eu fico achando que nenhum texto que eu poste em seguida vai ser tão bom quanto aquele, ou ‘como assim eu acabei de falar sobre como Cinderela e abuso familiar e agora vou falar de batom?’. Eu sei que pra alguns não faz sentido, mas na minha cabeça eu vou decepcionar vocês postando um troço mais ‘leve’ depois de um post hm… denso?

E muitas vezes eu escrevia, pensava isso, e sumia. Daí voltava quando tinha outro assunto assim pra falar. Mas esse mês, com esse desafio de postar todos os dias, eu tô me questionando ainda mais sobre isso. Não sou essa pessoa que só faz textão, haha, mas fico naquelas de decepcionar vocês. Daí lembro de uma coisa: o blog tem que ser legal primeiro pra mim, eu tenho que curtir fazer, se não nem eu e nem vocês vamos gostar. E eu tô aqui, buscando um equilíbrio nessa balança, pra gente não ficar nem só com uma coisa, nem só com outra. Beleza é um assunto que eu tô pensando muito em como falar mais. Como muitas e muitos de vocês falaram, eu tenho muita coisa, trabalho com isso, e assunto não me falta. Mas não quero ficar vindo fazer resenha de cada nova coisa que chegar, porque realmente não é esse o meu estilo. Então tô pensando em como voltar a falar mais de beleza sem ser ‘ai olha esse produto que chegou’ (isso eu faço no snapchat!).

Na pesquisa que eu tô fazendo, vi muita gente escrevendo que não sabia se eu ia ler, haha. E tô lendo tudinho, viu. Esse é um pouco o motivo do post de hoje. Queria que vocês soubessem que eu tô “ouvindo” o que vocês tão me falando, tanto na questão dos vídeos – não, o blog não vai virar só vídeo e nada de post – quanto na questão dos assuntos. Como escrevi lá, o Chez Noelle é meu blog, mas eu quero que todo mundo que entre aqui se sinta acolhido, felizinho, gostosinho, sabe? Acho que eu precisava escrever isso pra me libertar dessa amarra de que só posso escrever se for pra escrever textão. Não, né?

Então tá!

Mil beijos, amo vocês muitão,

Ó, se você não tiver respondido a pesquisa para as leitoras e os leitores do blog, clica aqui e responde, se tiver um tempinho :) Só clicar aqui.

PS: Agora tem mais um aplicativo chamado Periscope, esse é de transmissão ao vivo, ligado com o twitter. É bem legal, quem tiver, o meu usuário é @hello_sunshine :)

beda

 

 

em Abril tem post todos os dias!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_twtwitterfbfacebookvday_iginstagramytyoutube

snap2

11 Comments

Filed under blog blog blog

Pra ouvir e viciar: Ella Eyre

 photo b6d51f0b235326df6bd4c67f84fdc007.jpg

Há algumas semanas minha amiga Carol veio me visitar. Carol é ótima em me apresentar músicas, ela sempre sabe o que vou gostar, é batata! E nesse dia em que ela esteve aqui, ficamos no quarto ouvindo música e ela me apresentou essa moça chamada Ella Eyre. E eu vou apresentá-la a vocês, caso não conheçam. Até a Cá me apresentar, eu nunca tinha ouvido.

 photo 5fe9a2327bfb911c5425f48c5d5ba848.jpg

Ela é londrina, tem 21 anos, uma voz MUITO poderosa e um cabelo tão lindo que não é possível que seja desse planeta. Toda a carreira dela é meio recente, o primeiro single saiu em 2014, e é meu preferido, chama “If I Go”. É bem pop, ótimo pra dançar pré-festeeeenha com as amigas em casa, na própria festeeenha ou em casa mesmo. Eu sou dessas que liga a música e dança sem motivo específico pela casa. Meus roomies já estão acostumados.

Por enquanto ela só tem um EP (longo demais pra ser single, curto demais pra ser álbum), chamado Deeper, mas eu gosto de absolutamente todas as músicas dele. “If I Go” e “Comeback” são minhas favoritas, e “We Don’t Have to Take Our Clothes Off” e Comeback na versão acústica, mais lentas, também são lindas. Ela está em tour com o Olly Murs, outro britânico que eu adoro, descoberto em uma temporada antiga de X Factor. Eles inclusive fizeram um dueto para “Up“, o hit de Olly que ele canta com a Demi Lovato.

Eu espero que ela faça muito sucesso e lance um CD recheadinho de canções maravilhosas logo, porque ela merece! A voz é muito linda, ela é linda & poderosa, e contou em uma entrevista ao Guardian que sua mãe é a responsável por tudo o que ela é – o pai, um chef de cozinha, morou a vida toda na Jamaica e ela o conheceu pra valer há pouco mais de dois anos – e a colocou pra ralar desde adolescente. “Minha mãe sempre me manteve ocupada. Ela costumava dizer ‘ninguém gosta de um adolescente. Então use sua adolescência para trabalhar. E então aproveite a sua vida quando estiver um pouco mais velha”. Achei esse conselho muito sensacional, hehe. E vocês sabem como eu tenho uma queda por histórias de mulheres apoiadas por suas mães <3

 photo 57abec15d33bef28385f66c93f1a426d.jpg

O instagram dela é maravilhoso – ela tem muito estilo e posta várias fotos das suas produções lá – também vale muito seguir :)

tumblr_nbuy8rHLTg1tdxhdwo1_500

Brigada, Cá, por ter me apresentado essa maravilhosidade! E vocês, gostaram?

Mil beijos!

Criei uma pesquisa pra as leitoras e os leitores do blog! Quem puder responder, agradeço imensamente, é muito importante pra mim :) Só clicar aqui.

beda

em Abril tem post todos os dias!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_twtwitterfbfacebookvday_iginstagramytyoutube

snap2

 

3 Comments

Filed under Musiquinhas

Um gato, um tour pelo meu quarto e almoço com as minhas amigas

Olá <3

Olha um vídeo novo aí! Hoje resolvi subir um vlog, que tinha gravado em um dia que almocei com as minhas amigas maravilhosas, Helô e Dani, e a Cintia, que trabalha com a Dani e é uma FIGURA! Nós somos tão malucas com horários, que foi uma dificuldade conseguir marcar esse almoço, mas foi muito legal, estava com muitas saudades delas, de bater papo, de aprender – as duas me ensinam demais sobre esse mundo de blogs e youtube – de saber das viagens… Muito muito delícia encontrar com elas.

Queria aproveitar pra falar sobre uma coisa: os conteúdos do YouTube. Eu adoro fazer vídeos, mas é uma coisa muito nova e recente pra mim. Eu sou uma pessoa de texto, eu escrevo desde que aprendi a escrever, haha. Sempre tive diário, de papel ou na internet, então é algo que me é muito mais natural. Eu sento, escrevo, e por mais que demore umas três horas, é algo que eu sei que sei fazer razoavelmente bem. O YouTube é um desafio. E é uma coisa boa, eu adoro desafios, sou sagitariana, né. E todo novo vídeo é um aprendizado. A luz, a voz, o volume, a música de fundo, os temas, a duração. Cada comentário me ensina DEMAIS. Eu não fico brava, ou triste, jamais. Tudo que é feito com educação não me incomoda. Se vocês dizem que a música atrapalhou, eu tiro a música, ou diminuo, ou vou atrás de um microfone (estou providenciando!). Isso não é, de jeito nenhum, um desabafo, tá? Eu só queria conversar um pouco sobre os vídeos e de que eu estou aprendendo com tudo o que vocês me sugerem. De jeito nenhum eu acho que eu sou ótima e não tenho nada pra mudar. Eu tenho, e muito.

video

Quem me acompanha aqui no blog desde que ele surgiu, ou mais do começo, sabe que eu demorei um pouquinho pra me abrir mais. No começo eu falava mais de moda, de beleza, muuuuito de vez em quando aparecia um textinho mais pessoal. O canal no youtube pra mim é um pouco isso. Eu ainda estou encontrando meu caminho ali dentro, procurando um jeito de me sentir mais confortável. Por mais que na vida real a gente seja mais espontânea ou mais solta, quando tem uma câmera na frente, a gente fica muito mais consciente de nós mesmos e isso acaba sendo uma pequena barreira a ser vencida. Por isso eu valorizo MUITO os comentários de vocês. Pra entender o que vocês gostam, o que vocês não gostam, o que vocês querem ver mais. E eu estou pensando muito por aqui em como levar mais do blog pro youtube, porque foi o que várias de vocês comentaram na pesquisa. Eu levo tudo o que vocês dizem em consideração.

O que eu quero fazer no canal é mesclar conteúdos mais pessoais, como tags, vlogs e essas coisas, com conteúdos mais informativos, vídeos mais de opinião, assim como a gente faz aqui no blog e vocês parecem curtir. Só que demora um pouquinho, porque o vídeo é uma plataforma nova pra mim. Gravar leva tempo e editar leva mais ainda. Mas eu não vou desistir não, vamos em frente, e se vocês estiverem por perto, vai dar tudo certo. E continuem falando sobre o que querem ver, tá?

Amo todos vocês <3

Criei uma pesquisa pra as leitoras e os leitores do blog! Quem puder responder, agradeço imensamente, é muito importante pra mim :) Só clicar aqui.

beda

em Abril tem post todos os dias!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_twtwitterfbfacebookvday_iginstagramytyoutube

snap2

 

8 Comments

Filed under Chez Noelle TV, Diarinho

Quem é você?

Essa semana teve SPFW e mais uma vez fiz minha credencial e passei mais tempo na Bienal no Parque Cândido Portinari do que em casa ou na redação. Eu lembro como se fosse hoje da minha primeira temporada. Do meu primeiro desfile: Osklen, sentada na fila E e muito, muito feliz de estar vendo aquilo, tendo aquela oportunidade, participando de algo que eu achava tão legal. Era janeiro de 2010, mais de cinco anos atrás, e é meio inevitável olhar pra esses cinco anos e ver como tudo mudou e eu também.

spfw

Eu comecei trabalhando no FFW, como estagiária. Eu nunca pensei em trabalhar como jornalista de moda, até que eu comecei, haha. Entrei na faculdade de Jornalismo doida pra cobrir política ou cultura, mas meu primeiro estágio, três meses depois que entrei na faculdade, foi para escrever sobre moda em um blog de um e-commerce de meias. Era 2009, os blogs estavam bombando cada vez mais, e eu não fazia ideia de quem era Camila Coutinho, pra vocês terem uma ideia. Comecei a pesquisar por causa desse estágio, e me apaixonei. E meu amor pela moda só crescia. Quando consegui a vaga no FFW, pulei de alegria no meio da Avenida Paulista, desacreditada que aquilo estava acontecendo comigo. Eu era uma menina do interior, que foi fazer a entrevista na Luminosidade, a empresa do Paulo Borges que criou o SPFW e depois comprou o Fashion Rio, usando uma camiseta do JUCA (os jogos universitários de comunicação)! Na minha primeira temporada de moda eu chegava nos backstages bem cedinho e era uma das últimas a ir embora da Bienal. Rotina de mais de 16 horas de trabalho, fácil. Eu tive a honra de trabalhar e aprender TUDO com o Luigi Torre, com o André Rodrigues e com a Erika Palomino. Eu levei muita bronca, chorei muito – e aprendi a não chorar – e caí do cavalo várias vezes, mas considero esses episódios os que mais me fizeram aprender e crescer.

Moda é diferente de comprar roupas. É uma expressão cultural de um povo e que reflete muito da nossa sociedade. Se os estilistas estão fazendo mais comprimentos curtos do que compridos, ou vice-versa, o que isso tem a ver com a gente? O que ele tá querendo dizer? Qual a visão de mundo dele? Se uma marca prefere simplicidade a ostentação, materiais naturais a sintéticos, o que raios isso tem a ver com a gente?  Moda é isso. É também o que as pessoas estão usando na rua, como estão usando, porque estão usando, se estão usando antes de ir pra passarela e influenciando os ‘influenciadores’.

spfw-fila-final

Trabalhar com moda também tem glamour. Mas a maior parte do trabalho não é nada glamouroso. Como diz minha mãe, o povo vê as pingas que a gente bebe, mas não vê os tombos que a gente leva. No caso da moda, o povo vê os champagnes que a gente toma, mas não vê os tropicões homéricos que a gente leva. Eu tô falando da minha experiência como jornalista. Eu não sei como é a vida das blogueiras, porque sempre fui jornalista, tenho e amo o blog, mas não vivo disso. Sempre tive chefe, sempre trabalhei pra alguém ou pra alguma corporação. É muita ralação, muita gente mal educada achando que está te fazendo um favor quando na verdade estão todos trabalhando, muito grito, muita tensão, e muito, muito ego. E muita gente que se deslumbra no meio do caminho e acha que é a Anna Wintour quando tá no primeiro emprego ainda e estilista que te trata como se ele fosse a reencarnação da Gabrielle Chanel. E tem que aguentar. Se quiser crescer, tem que abaixar a cabeça sim, saber seu lugar e aprender com tudo. O ego é um negócio foda na moda. A coisa do ‘você sabe com quem está falando?’. E se a gente não ficar esperto, pega a gente também.

Eu já fiquei deslumbrada. Eu já achei que era mais importante do que de fato eu era. Mas a vida, ah, a vida, ela mostra pra gente nosso lugarzinho e se a gente não cair na real, é engolido por essa bolha do deslumbre e do ego e do achar que tá na busca pela cura do câncer e que todas as outras pessoas do mundo deveriam se ajoelhar aos nossos pés. Eu já achei que a maneira com que as pessoas da indústria falavam comigo ou o jeito com que elas falavam comigo era por causa de quem eu era. Mas gente, nunca é ;) É sempre por causa do veículo que você trabalha, pelo que você pode oferecer pra eles. Se um dia você tá ‘por baixo’, esquece (nessa hora alguém fala: ‘mas todo lugar é assim’. então, mas eu nunca trabalhei com outra coisa, então tô aqui contando a minha experiência na minha área <3).

primeira-fila

Um dia eu achei que era a maioral. Até que alguém veio e me mostrou que não. Eu fiquei um tempo achando que era, e que aquelas pessoas estavam erradas, aff recalque, aff inveja, aff sei lá o quê. Até que eu aprendi que… elas estavam certas. E que essa lição tinha sido uma das mais valiosas. A moda é só um emprego. O mais importante está lá fora. São nossos amigos de verdade, nossas relações que criamos e mantemos, a vida que a gente leva lá fora. O importante mesmo é a maneira com que tratamos as outras pessoas e elas nos tratam independente do quanto a gente ganha no fim do mês ou quantos seguidores a gente tem ou de quantos exemplares nossa revista vende. Ninguém é mais importante do que ninguém porque tem 500 mil seguidores no instagram ou trabalha numa revista que vende 100 mil exemplares por mês. Quem é você, quando tudo isso deixa de existir? Despida de todas as aparências, títulos, cargos, status, seguidores, acessos, roupas. Quem é você, só você? O que você construiu de sólido? Cadê a sua credibilidade? Onde estão as pessoas que te amam pelo que você tem aqui dentro, não o que você mostra do lado de fora?

Nessa semana de SPFW eu pensei um pouco sobre isso. Em como tem uma galera maravilhosa que está lá, trabalhando, fazendo seus corres, mas no fim do dia, e no jeito que trata os outros, sabe que é só um trabalho. E uma galera que não. É muito legal e maravilhoso trabalhar com moda & beleza. É um mundo gostoso, divertido, leve, importante, especial. Mas é só um trabalho. Não vamos acreditar que somos maiores do que somos porque trabalhamos com moda. É só um trabalho.

E agradeço às pessoas que me mostraram isso. Foi uma jornada e tanto.

Mil beijos, amo vocês e até amanhã!

ps: eu falhei com os posts essa semana justamente por conta da loucura de spfw. Mas hoje volta tudo ao normal, e com um post por dia :)

AHHHH! Criei uma pesquisa pra as leitoras e os leitores do blog! Quem puder responder, agradeço imensamente, é muito importante pra mim :) Só clicar aqui.

beda

em Abril tem post todos os dias!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_twtwitterfbfacebookvday_iginstagramytyoutube

snap2Fotos: Agência Fotosite

 

12 Comments

Filed under Diarinho, Moda

In my life #19

Oieee! Estou no interior, de novo, porque sábado foi casamento de uma prima minha, a Angélica <3 E eu AMO casamentos. Amo festas em geral, haha, um traço que me liga facilmente a minha mãe, a arroz-de-festa oficial da família, mas casamentos são muito especiais pra mim.

Engraçado que eu não sou muito tradicional, nem em relacionamentos e nem na minha vida como um todo, mas casamento é um ritual que me toca muito. Eu tenho uma queda por rituais, também, mas a ideia de você fazer um encontro especial, com pessoas muito amadas e muito importantes pra compartilhar, multiplicar e vivenciar aquilo com vocês é uma das coisas mais lindas que eu já vi. E não precisa ser na igreja, ou ser imenso, ou ser com vestido branco ou antes dos 35 anos. Só precisa ter amor e ter gente querida por perto, o resto é acessório :)

Minha família é bem grandona. Minha vó, chamada Santa, se casou com o Ângelo há muitos e muitos anos – eu levei as alianças na Bodas de Ouro deles, com 8 anos de idade! – e quão maravilhoso é um casal que une uma Santa a um Anjo? Os dois tiveram 13 filhos, entre eles meu pai, o Celso. Esses 13 filhos, 9 homens e 4 mulheres, se casaram e aumentaram ainda mais a família: hoje minha avó tem 44 netos e 12 filhos, e eu não lembro agora quantos bisnetos, mas já não dá mais pra contar nos dedos da mão. Minha avó Santa já deu adeus a um neto, a um filho e ao seu marido, meu avô, o dono dos olhos azuis a quem eu puxei. No casamento de sábado, boa parte da família se reencontrou. E eu sou muito tiazona que fica reparando em como os primos estão grandes, em como as primas estão arranjando namoradinhos… Às vezes eu esqueço que tenho 25 anos, e parece que tenho 15 de novo e estou crescendo com todos eles bem pertinho de mim. Essa é uma das coisas ruins de se estar longe. Quando eu vejo, o meu primo já cresceu, a minha prima já casou e eu vi tudo meio de longe, meio sem participar de verdade. Dá uma tristezinha, mas o que é a vida se não escolhas? O caminho que escolhi me levou pra longe, mas fico feliz de ter percebido o quanto eu gosto de estar perto deles, quando possível, antes de ser tarde demais. Eu não quero ver tudo por foto no instagram e no álbum de casamento anos depois. Eu quero viver e vivenciar o que for possível com minha família.

elash_hs1_e1

coracaoLendo: Cês vão me achar muito lerdona se eu contar que ainda não terminei “O Filho de Mil Homens”? Se vocês acharem, vocês não estarão nada errados. Tô lerda, mas o livro continua sendo lindo-maravilhoso

coracaoAssistindo… Depois de devorar a primeira temporada de “Unbreakable Kimmy Schmidt” (lê o post aqui!), comecei a ver “Agent Carter” com o David. É um seriado de época, anos 40, em que a personagem principal é uma mulher, a Peggy Carter, uma agente secreta SENSACIONAL. Eu tenho uma queda por qualquer coisa de espiões, mas espiã mulher, poderosa, independente, é demais pro meu coraçãozinho. Tô no terceiro episódio ainda, mas já gostei!

coracaoOuvindo… Um cara chamado James Bay. Ele é inglês, ele faz umas músicas muito gostosinhas, tem aquela voz meio desesperada, que eu adoro (não sei explicar, mas eu amo quando parece que a pessoa tá cantando do fundo do coração dela e meio sofrendo de amor enquanto canta. Cês entendem?) e ele tem uma música chama “Hold Back the River” que faz meu coração dar cambalhotas. Na real, no dia que ‘descobri’ ele, já salvei o cd todo no meu spotify, pra ouvir no caminho do trabalho, já apresentei pro David, já dormi ouvindo… Tamo bem íntimos HEHE

coracaoFeliz por… Estar cumprindo o desafio, ainda que alguns dias não tenha rolado post, mas tô feliz porque vocês estão gostando, eu estou vendo que consigo, se colocar uma meta na minha cabeça e me esforçar pra cumprir, e está sendo um exercício muito legal, de pensar no que postar todo dia, pra não saturar vocês. Mas ó, posso contar uma coisa dos bastidores? Ontem, de domingo pra segunda, eu fiquei até às 3 da manhã pra conseguir editar um vídeo e renderizar (tava dando mil buchas), e acordei cedinho pra fazer exame. Hoje estou escrevendo de madrugada, porque passei o dia na função “consultas & exames médicos”, são 1 da manhã e eu acordo daqui 3 horas pra voltar pra São Paulo. O esforço não é força de expressão, não! Mas nossa, como vale a pena <3

coracaoPensando sobre… Tão grande o amor, tão curta a vida. Ou, no caso, tantos os planos e tão pouco tempo para realizá-los. Tem dias em que acordo e penso que se eu me organizar, se eu me dedicar e se eu colocar a mão na massa, eu consigo fazer tudo o que eu quero. Tem dias que acordo e simplesmente tenho certeza de que não dá. Simplesmente não dá tempo pra gente fazer tudo o que a gente quer. E olha que nem sou de Gêmeos! O que vocês acham, hein? Dá tempo, se organizar direitinho todo mundo faz tudo, ou é uma utopia e devemos parar de nos cobrarmos tanto?

coracaoAnsiosa para… Executar os tais planos aí de cima. Dedos cruzados, fé em Deus e pé na tábua ;)

vó santa Ó a minha vó Santa aí, que lindona! <3 Essa moça bela aí é a minha prima Jéssica e o moço é o Gunter, o namorado dela, que já considero primo postiço, um casal que eu amo muito :)

papai

E esse é meu pai, gente :) Vocês perguntam dele, porque eu falo muito da minha mãe, mas ó, contei um tantão sobre ele nesse vídeo aqui. Foi uma delícia passar esse momento com ele :)

primas Bordignon migos

uma partezinha das meninas da família Bordignon (um dos meus sobrenomes!) <3 Cresci com elas, tenho muuuuitas memórias vividas ao lado dessas garotas lindas, batalhadoras, com histórias incríveis e inspiradoras. Suas lindas, amo vocês! // E aqui meus migos, que são tão especiais que ganharam um texto só pra eles!

The Baes  e Chez Noelle Cantora Céu

Um momento auto-clipping, porque tive o prazer e a honra de entrevistar essas mulheres fodonas aí das fotos de cima! Esse grupinho animado aí são as BAEs, dançarinas do Pharrel pra simplificar, mas muuuuito mais do que ‘só’ isso. A entrevista tá aqui, espero que cês gostem, eu amei! // E aqui a Céu, que tem uma voz e uma música deliciosas e é uma simpatia só. Claro que eu amei poder entrevistá-la, também, e o resultado tá aqui.  

julia petit stephanie noelle e mariah roverytrio de margueritas

Encontro de amigas e gente querida: Julia, eu e Mariah Rovery, a criadora de boa parte dos brincos que vocês sempre elogiam. Quem não conhece o trabalho dela, corre! É de babar <3 // Fui conhecer esse trio de Margaritas no Outback, acompanhada da minha amada Helô e do Rafa, e foi muuuuito divertido, além de gostoso. O trio é muito baratinho: R$ 22,50 – sim, os três drinks – e a ideia é justamente você ir com os amigos, pra beber todas e gastar pouco ;) São cinco sabores, mas meus preferidos foram Tradicional e Cranberry! 

stephanie noelle ruby woochubby cheeks clinique

Dois (quase) opostos: eu num dia de muuuita preguiça, fui trabalhar de cabelo molhado, nada de rímel e um Ruby Woo que ficou com todo o trabalho de me deixar apresentável E os lançamentos AMOR da Clinique, os Chubby Cheeks, versão mais gordinha dos Chubbys, só que pra bochecha, contorno e iluminador. Quero usar mais um pouco antes de falar mais deles, mas eu já estou gostando bastante, viu!

beda

em Abril tem post todos os dias!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_twtwitterfbfacebookvday_iginstagramytyoutube

snap2

7 Comments

Filed under Diarinho

Meus hábitos de leitura

Ó quem apareceu? UM VÍDEO! hehehehehe. Tava em falta com vocês de vídeo, né? Mas vou contar porque: gente, eu sou muito lerda pra editar. Minha edição não tem nada de extraordinária, mas eu sou devagar mesmo com essas coisas, quem sabe com a prática fico mais agilizada, né?

E aí eu gravei uma TAG de leitura, um assunto que sabemos (sabemos?) que eu adoro, e muitos de vocês também gostam. Contei um pouquinho de como eu leio, meus hábitos, se eu como ou bebo enquanto leio (!) e coisas do tipo. Me contem os hábitos de vocês também!

Ó, aqui o link que falo no vídeo:

Vídeo de “As Vantagens de Ser Invisível” (eu e minha tremedeira, hahahaha):

Sobre a TAG: Juntei duas diferentes em uma, eis as perguntas:

1. Quando você lê? Manhã, tarde, noite, o dia inteiro ou quando tem tempo?

2. Você lê apenas um livro de cada vez?

3. Qual seu lugar favorito para ler?

4. O que você faz primeiro: lê o livro ou assiste ao filme?

5. Qual formato de livro você prefere? Áudio-livro, e-book ou livro físico?

6. Você tem algum hábito exclusivo ao ler?

7. As capas de uma série tem que combinar ou não importa?

8. Marcador de livros ou papel aleatório?

9. Quando quer interromper a leitura, para na página onde está ou tem que acabar o capítulo ou certo número de páginas?

10. Come ou bebe enquanto lê?

11. Consegue ou gosta de ouvir música ou televisão enquanto lê?

12. Ler em voz alta ou só pra você mesma?

13. Costuma pular algumas páginas do livro ou ler o final?

14. Quebrar a lombada do livro ou mantê-lo como se fosse novo?

15. Escreve nos livros?

É isso! Boa semana pra gente <3

Até amanhã, amo vocês!

beda

em Abril tem post todos os dias!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_twtwitterfbfacebookvday_iginstagramytyoutube

snap2

5 Comments

Filed under Chez Noelle TV, Livros e mais livros

Viciada em tênis

47b7c55d5231b7e130191cd9ca2c4a89

Longa-história-curta: na adolescência eu só usava tênis. All Star, na verdade. Praticamente TO-DOS os dias da minha vidinha até os 18 anos (não lembro com que idade eu ‘comecei’ haha) eu só usava tênis, jeans e camiseta. O tempo passou e eu sofri calada e eu  comecei a gostar mais de moda, usar outras coisas, e aboli o tênis da minha vida. Sei lá, dos 19 até os (quase) 25 eu não botei um tênis do pé, exceto os de corrida. Nem tinha um, pra falar a verdade. Um belo dia eu ganhei um keds cinza mescla. E gostei. E aí comecei a ter um coceirinha pra comprar um tênis branco. Me apaixonei pelo Adidas Superstar. Comprei na Black Friday e… VICIEI. Sério, eu uso ele com tudo, quase todos os dias, e quero só usar tênis agora! Acho que tem muito a ver com o meu momento também. Mais tranquila, sem muitas preocupações em estar super-mega-arrumada todos os dias. Não que seja desarrumado o tênis, mas acho que ele passa essa imagem de mais relax, de uma pessoa mais leve, menos carão :)

stephanie-noelle-teniseuzinha em três momentos com tênis <3 lá no instagram, me segue?

Ah, tem um detalhe importante. Quando saí da Glamour e entrei no Petiscos, minha rotina mudou também. Parei de pegar tanto táxi, e voltei a usar bastante metrô e ônibus, e vou até a Paulista andando, pra pegar o metrô. Então tenho usado muito mais sapatos sem salto, mas eu não tô mais curtindo sapatilha – peguei uma implicância, sei lá porque – então o tênis entrou de vez na minha vida. E os oxfords, meus amores eternos e verdadeiros. Só que eu quase nunca uso calça, então meu jeito de usar tênis é um pouquinho diferente, haha! Gosto muito de usar com saia curta, saia mídia, saia bufante, saia lápis, todos os vestidos… Eu não sou super alta, tenho 1,68 cm, mas minha perna em relação ao meu tronco é bem comprida, então não sinto que me achata. Também, se achatasse, e daí? Se a gente gosta e se sente bem, dane-se se a gente parece mais alta ou mais baixa. Quem foi que disse que tem que ser assim? (eu sei que as revistas dizem, mas de novo: e daí?). O tênis me deixa muito confortável, tenho gostado dele em contraste com minhas roupas super bonequinhas, e quero iniciar uma coleção. O problema é que estou sem comprar nada desde janeiro – assunto pra outro post – e pretendo continuar assim por um tempo. Mas isso não me impediu de separar referências e modelos que estou amando e dividir com vocês :)

tenis-abre

Vamos lá, como eu disse, não curto muito calça, por isso é o que têm menos ideias. Tenho uma de couro que quase anda sozinha, mas tirando ela, quase nunca uso. E calça + tênis ou shorts + tênis é meio básico, né? Dá pra usar na tranquilidade ;) Separei aqui alguns dos jeitos que mais gosto de usar! E fiz um board no Pinterest com mais um montão de inspirações!

TÊNIS COM CALÇA

5ab7049745f447c660741c4401eb7f8f

fb172aa0fad008f248711ab1af08000e

5b57620e24c6ffd0084e5e8c3f2a9aed

193800

TÊNIS COM VESTIDO

1b0460403cdfe5aca57cdd2b520c6f49

Sneakers-with-Dresses-Looks-2-580x896

1da04a3b957a86339618ac62175fb8fc

84e8c41cc7528d67664a9c86279b7d92

890ddb870ce3a6ab40e20a2ebd5eac07

aa42bb5a7617907d4f7a63d331232c1c

c41199cd150f7d7c607755cfa893cb4f

d8bd15f56fd6db4675237a876f408c52

TÊNIS COM SAIOTA CURTA

3c1662a300798a872d460d13cbb1edc7

x7062

b8b83bb3ae0957ec1bcbaf63b802e03e

c84ee361dfcb0c69238249702dcf9828

x7087

TÊNIS COM SAIA MÍDI

Esse tem sido meu jeito preferido de usar, e o que estou achando mais diferente! É o que me deixa mais gata, mais sexy, mais para-o-trânsito? Não. Mas né, não precisa estar assim o tempo todo. Precisa estar se curtindo, se achando interessante e é isso aí :D

a3b35c32cc4be00ccdd6b7d610820d0c

47c1051f51041875b6b3263127e37624

023d2d44e211e76bb93e89ef0a835c5a

ec5223524f38a3802771b6caf3078bfb

6c0a7608058a8ec38b89bfe8d3c42925

619c67fb2e2a8ccd85cb72a418c89d5b

6d423a50102867a250fb745e66b040e8

99d420aa705c479b1eab34be95c7c16d

9512e8f0cf5d00f59f244e4679fa7427

525a156cf2356cb458b97c56b9af559a (1)

x7061

058f0aab0f3893fc49ad0e2b56bedbdd

Uhul, que post gigante com fotos, né? Fazia muito tempo que não rolava um desses por aqui! Cês gostam?

Então tá, até amanhã!

Bisous mil,

beda

em Abril tem post todos os dias!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_twtwitterfbfacebookvday_iginstagramytyoutube

snap2

9 Comments

Filed under Inspiração, Moda