Os 27 chegaram

Eu escrevo sobre meu aniversário aqui há alguns anos. Teve o dos 24 anos, todo otimista, com uma lista das 24 coisas mais legais que haviam me acontecido até então. O dos 25 anos, falando sobre como os dez anos que se passaram desde a pior época da adolescência me fizeram bem. E o dos 26 anos, sobre como tudo estava muito diferente.

Hoje eu completo 27 anos e esse é meu aniversário mais esquisito de todos. Mais diferente. Se ano passado foi diferente, esse então, nem se fala.

O ano todo foi revestido de uma atmosfera de bad vibes. Na minha vida e na de muita gente que eu conheço. Foi ruim pra mim, mas foi pra todo mundo, acho. Eu passei o ano todo me sentindo estranha, sentindo que tinha um monte de coisa fora do lugar, sentindo que eu não tava me encontrando, me encaixando, fazendo o que eu tinha que fazer.

Fui monotemática, quase entrei em depressão, amei demais e amei as pessoas que não me amaram de volta. Errei, errei, e errei de novo. Mas aprendi. Nossa, quanto aprendizado. Dei murro em ponta de faca, chorei como nunca, doeu como nunca, também. Me vi perdida, me vi sem chão.

Me vi sentada no escuro querendo voltar pra casa -e eu estava em casa.

Me vi querendo desistir de tudo. Querendo ser menos. Querendo parar de sonhar. Parar de querer chegar a algum lugar. Me vi questionando o que eu era capaz de fazer mais vezes do que o aceitável.

Fui me enrolando numa montanha de coisas por resolver. Não queria lidar com nenhuma delas. Queria que elas só desaparecessem. Que cansassem de bater à minha porta, e finalmente virassem às costas e fossem embora.

As últimas semanas antes do meu aniversário foram bizarras.

Calma, vou contar de antes. Uns dois meses antes do meu aniversário.

Outubro, o começo do fim.

Sabe quando a gente sente que finalmente tá saindo daquele torpor? Que, finalmente, a sorte tá apontando pra você? Que você vive dias incríveis, momentos sensacionais, sensações indescritíveis? E que tudo, pouco a pouco, vai entrando nos eixos? Esse foi meu outubro. Era como se eu estivesse finalmente colocando a cabeça pra fora do mar, depois de meses mergulhando cada vez mais fundo. Foi revigorante. Foi bom demais sentir o vento de novo no rosto. Sentir. Como é bom sentir.

E aí tudo veio abaixo de novo.

Entre no mês do meu aniversário me sentindo um lixo. Sentindo que pronto, era aquilo. Chega, acabou, desiste, Stephanie. Fui pro fundo do poço e quando tava quase descobrindo que meu poço tinha subsolo, decidi que não. Eu não sou essa pessoa. Eu sei muito bem como eu gosto de me sentir, eu sei muito bem o que eu quero atingir e como eu quero. Eu não vou desistir. Não agora. Não depois de tudo. Não com tanta gente maravilhosa -que eu conheço ou que me conhece <3- existindo perto de mim.

Juntei todas as minhas forças e emergi de novo. E o vento nunca foi tão bom. E o cheiro de terra firme nunca tão próximo.

E cheguei ao dia de hoje, 17 de dezembro de 2016, feliz comigo. Feliz com o que está por vir. Com vontade, com garra, com muito fôlego. Doida pra ver as coisas acontecerem, doida pra fazer as coisas andarem.

Está tudo absolutamente diferente.

Esse ano eu não comprei roupa pra usar na festa, não investi em decoração, não gastei um monte de dinheiro pra deixar a chácara toda bonitinha. Eu não passei o dia correndo de lá pra cá querendo que tudo ficasse impecável pras fotos saírem maravilhoas. São quase 19h e eu tô indo pro banho e não fiz a unha. Eu não estou preocupada com isso. E pela primeira vez, em muitos, muitos anos, eu não estou ansiosa. Ansiosa ruim. Ansiosa nervosa. Ansiosa como eu sempre estivesse em todas as outras vezes.

Eu tô leve.

Eu só quero ver meus amigos, beber umas caipirinhas, dançar abraçada com cada um que faz valer a pena viver minha vida. Cortar o bolo olhando pra carinha de cada uma dessas pessoas que faz questão de estar próxima de mim. Que me ama e que eu amo muito. E dançar mais um pouco. E ver o sol nascer deitada na grama que vai colar nas minhas costas por causa do suor, e olhar pro lado e encontrar conforto.

É isso que vale a pena.

Todo o resto é acessório.

E quando a gente percebe isso, e a gente solta tudo o que nos segurava lá embaixo, a gente consegue nadar pra superfície.

Eu sou a mesma Stephanie, mas eu estou diferente. E eu estou bem. E estou feliz :)

Obrigada a todo mundo que me acompanhou por aqui ou pelo youtube ou pelo Insta. Cês fazem parte de tudo isso e me fazem muito bem, também <3

stephanie-aniversario-01Foto da Pryscilla Dantas

coracao

twitter & periscope | facebook | instagram | youtube | snapchat {cheznoelle} | spotify | pinterest

FacebookTwitterTumblrGoogle+FlipboardCompartilhe :)

Comentários

Comentários

Comments

  1. Ana Carolinac says

    AAAAHHH, Sté!!!

    Que saudade dos seus textos mesmo te acompanhando em todas as redes <3
    Esse ano também foi muito, muito complicado pra mim, o mais difícil de todos e também acho que ainda não me reencontrei, mas fico feliz de saber que você voltou a ser feliz e leve.
    Eu amo te acompanhar e saiba que você é uma das minhas maiores inspirações.
    Muita luz, sucesso, quentinho no coração e paz interior nesse novo ciclo!
    Seja feliz e seja você sempre.
    bisous mill <3

  2. Fernanda says

    Feliz aniversário linda!
    Fico muito feliz de ler que você está dando mais importância para as coisas simples, leves e que definitivamente são as que fazem a diferença na nossa vida.
    Parabéns por ser quem você é é por ter superado tudo isso e por mais um ano de vida,
    VOCÊ É INCRÍVEL. ❤

  3. Yasmin S. Lima says

    Meu Deus Sté, eu to sem chão!
    Que texto lindo, revigorante e cheio de esperança.
    2016 foi um ano estranho (como já diria o Spotfy) e todos os textos reflexivos sobre a sua vida que rolaram por aqui eu me identifiquei, e nesse não foi diferente.
    Já prendi o fôlego quando li o “Me vi sentada no escuro querendo voltar pra casa -e eu estava em casa.” E eu que achava que só eu já tinha me sentido assim.
    Mas o fim de 2016 anda dando todas as pistas de que 2017 vai ser um ano maravilhoso, de frutos de todos os aprendizados que rolaram nesse ano “forrado de bads”. Eu desejo isso pra você, pra nós.
    É por último, mas de modo algum menos importante: Parabéns! Espero que seu aniversario seja incrível, ao lado de pessoas incríveis, e que esse novo ano de vida seja assim como hoje: leve. E obrigada, por todos os seus textos! Cada um deles me manteve em pé e com a sensação de que eu não tava sozinha nesse ano turbulento, foi inspirador <3

  4. says

    Stephanie,posso te dizer que não sei muitas coisas da vida,mas uma das poucas que sei é:como me vejo em ti.Nos teus textos,nos momentos,na fossa braba que vem cada vez mais forte e parece que vai nos levar sei lá pra onde,na maneira de sentir tão intensamente como se o mundo todo pulsasse na gente,em cada tombo e aprendizado.Meu Deus,como a gente se parece!rs.
    Fico imaginando se um dia te encontrasse pelas ruas de São Paulo como seria rs.
    E nesse novo ciclo que começa desejo que vc se encontre cada vez mais,que seja feliz,que viva o que tiver que viver,que tenha saúde,amor de verdade,muitos abraços.
    Te desejo um infinito de coisas boas e acho até que te desejo meio que querendo desejar coisas assim pra mim também.
    Louco né?!Vai saber rs.
    Te acompanho sempre,beijos!=)

  5. says

    Que maravilhosa!!!!
    Super me identifiquei com várias coisas, principalmente esse parte da festa de aniversário. Também já fui dessas de ficar nervosa, estressada e querer uma festa com tudo perfeito, hoje em dia qualquer coisinha que eu faça, desde que seja com as pessoas que eu amo, já basta. E é muito melhor.
    Que bom que você está feliz, lindona! Adoro acompanhar você nas redes sociais, você me inspira de verdade!

    Feliz aniversário! Mais sucesso pra vc!
    Beijos,

  6. Isa says

    Ste,
    Obrigada pela pessoa incrível que você é! Você me inspira demais a cada texto seu.
    2016 não foi mesmo um ano fácil pra muita gente, mas foi importante pra nos mostrar o que realmente importa. E no fim, é mais um ciclo que se vai dando lugar a outro muito melhor!
    Te desejo um dia de puro amor ao lado das pessoas que você gosta.
    E que venham muitos anos mais recheados de dias leves assim.
    Muitos beijos

  7. says

    Dei os Parabéns no Youtube, mas vim dar os Parabéns aqui também…entãooo: Parabénssssssss! (tá atrasado, mas espero que esteja valendo)
    “São quase 19h e eu tô indo pro banho e não fiz a unha. ” isso é TÃO legal e libertador, saber que os momentos em si bastam, que não precisa necessariamente estar tudo lindo e perfeito pra ser bom.
    Eu conheci seu canal no Youtube esse ano e fiquei uns dias assistindo vários vídeos seus. Tava numa bad, então as coisas que vc dizia eram tão “refrescantes” que fui vendo vídeo atrás de vídeo :) eu morro de vergonha de ficar comentando seja aqui, seja no Youtube…mas tem vezes que não posso deixar passar né. Vc nem me conhece, mas eu acho vc tão bacana <3
    Enfim!
    Espero que seus 27 anos sejam bem leves, colorido, cheio de coisas boas!
    Bjs!

Trackbacks

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *