27 coisas sobre mim

Pois é, fiz 27 anos -e falei sobre nesse post aqui. E aí resolvi fazer um vídeo contando 27 fatos sobre mim, pra vocês me conhecerem um pouco mais. Mais? Acho que quem lê o blog há algum tempo já deve saber boa parte dessas coisas, ou deve imaginar que seja mais ou menos assim, mas coloquei tudo listadinho. Foi engraçado fazer essa lista, porque foi meio que uma viagem pessoal, de coisas que eu acho “importantes/marcantes” em mim, e também pedi pra alguns amigos falaram coisas sobre mim. Claro que numa lista desse tipo a gente acaba enaltecendo nossas qualidades ou coisas curiosas, bonitinhas. Muito difícil assumir traços que a gente não curte muito em nós mesmos, mas tem ali uma ou outra coisa da qual não me orgulho e estou trabalhando pra melhorar.
Ou deveria haha.

Muitos desses descobrimentos vieram com esse ano todo de solteirice. Incrível a quantidade de coisa sobre nós mesmos que a gente não enxerga quando estamos ao lado de alguém. Coisas boas e coisas ruins. A gente fica sendo desafiada a sair da zona de conforto o tempo todo. E às vezes a gente aceita o desafio, e às vezes simplesmente acha que é melhor ficar onde a gente está. Mas depois eu falo mais sobre isso, porque tem muito pra ser falado.

E sinto que esse novo ano que está chegando vai ser de mais descobertas ainda. Uma viagem ainda mais profunda em mim mesma, especialmente por conta do trabalho. Contei aqui que estou fora do Petiscos, então ano que vem é uma etapa nova de descobrimento.

Uma hora será que a gente sossega? Não sei, mas gosto de pensar que pelo menos estou indo a algum lugar.

Beijos!

coracao

twitter & periscope | facebook | instagram | youtube | snapchat {cheznoelle} | spotify | pinterest

FacebookTwitterTumblrGoogle+FlipboardCompartilhe :)

Os 27 chegaram

Eu escrevo sobre meu aniversário aqui há alguns anos. Teve o dos 24 anos, todo otimista, com uma lista das 24 coisas mais legais que haviam me acontecido até então. O dos 25 anos, falando sobre como os dez anos que se passaram desde a pior época da adolescência me fizeram bem. E o dos 26 anos, sobre como tudo estava muito diferente.

Hoje eu completo 27 anos e esse é meu aniversário mais esquisito de todos. Mais diferente. Se ano passado foi diferente, esse então, nem se fala.

O ano todo foi revestido de uma atmosfera de bad vibes. Na minha vida e na de muita gente que eu conheço. Foi ruim pra mim, mas foi pra todo mundo, acho. Eu passei o ano todo me sentindo estranha, sentindo que tinha um monte de coisa fora do lugar, sentindo que eu não tava me encontrando, me encaixando, fazendo o que eu tinha que fazer.

Fui monotemática, quase entrei em depressão, amei demais e amei as pessoas que não me amaram de volta. Errei, errei, e errei de novo. Mas aprendi. Nossa, quanto aprendizado. Dei murro em ponta de faca, chorei como nunca, doeu como nunca, também. Me vi perdida, me vi sem chão.

Me vi sentada no escuro querendo voltar pra casa -e eu estava em casa.

Me vi querendo desistir de tudo. Querendo ser menos. Querendo parar de sonhar. Parar de querer chegar a algum lugar. Me vi questionando o que eu era capaz de fazer mais vezes do que o aceitável.

Fui me enrolando numa montanha de coisas por resolver. Não queria lidar com nenhuma delas. Queria que elas só desaparecessem. Que cansassem de bater à minha porta, e finalmente virassem às costas e fossem embora.

As últimas semanas antes do meu aniversário foram bizarras.

Calma, vou contar de antes. Uns dois meses antes do meu aniversário.

Outubro, o começo do fim.

Sabe quando a gente sente que finalmente tá saindo daquele torpor? Que, finalmente, a sorte tá apontando pra você? Que você vive dias incríveis, momentos sensacionais, sensações indescritíveis? E que tudo, pouco a pouco, vai entrando nos eixos? Esse foi meu outubro. Era como se eu estivesse finalmente colocando a cabeça pra fora do mar, depois de meses mergulhando cada vez mais fundo. Foi revigorante. Foi bom demais sentir o vento de novo no rosto. Sentir. Como é bom sentir.

E aí tudo veio abaixo de novo.

Entre no mês do meu aniversário me sentindo um lixo. Sentindo que pronto, era aquilo. Chega, acabou, desiste, Stephanie. Fui pro fundo do poço e quando tava quase descobrindo que meu poço tinha subsolo, decidi que não. Eu não sou essa pessoa. Eu sei muito bem como eu gosto de me sentir, eu sei muito bem o que eu quero atingir e como eu quero. Eu não vou desistir. Não agora. Não depois de tudo. Não com tanta gente maravilhosa -que eu conheço ou que me conhece <3- existindo perto de mim.

Juntei todas as minhas forças e emergi de novo. E o vento nunca foi tão bom. E o cheiro de terra firme nunca tão próximo.

E cheguei ao dia de hoje, 17 de dezembro de 2016, feliz comigo. Feliz com o que está por vir. Com vontade, com garra, com muito fôlego. Doida pra ver as coisas acontecerem, doida pra fazer as coisas andarem.

Está tudo absolutamente diferente.

Esse ano eu não comprei roupa pra usar na festa, não investi em decoração, não gastei um monte de dinheiro pra deixar a chácara toda bonitinha. Eu não passei o dia correndo de lá pra cá querendo que tudo ficasse impecável pras fotos saírem maravilhoas. São quase 19h e eu tô indo pro banho e não fiz a unha. Eu não estou preocupada com isso. E pela primeira vez, em muitos, muitos anos, eu não estou ansiosa. Ansiosa ruim. Ansiosa nervosa. Ansiosa como eu sempre estivesse em todas as outras vezes.

Eu tô leve.

Eu só quero ver meus amigos, beber umas caipirinhas, dançar abraçada com cada um que faz valer a pena viver minha vida. Cortar o bolo olhando pra carinha de cada uma dessas pessoas que faz questão de estar próxima de mim. Que me ama e que eu amo muito. E dançar mais um pouco. E ver o sol nascer deitada na grama que vai colar nas minhas costas por causa do suor, e olhar pro lado e encontrar conforto.

É isso que vale a pena.

Todo o resto é acessório.

E quando a gente percebe isso, e a gente solta tudo o que nos segurava lá embaixo, a gente consegue nadar pra superfície.

Eu sou a mesma Stephanie, mas eu estou diferente. E eu estou bem. E estou feliz :)

Obrigada a todo mundo que me acompanhou por aqui ou pelo youtube ou pelo Insta. Cês fazem parte de tudo isso e me fazem muito bem, também <3

stephanie-aniversario-01Foto da Pryscilla Dantas

coracao

twitter & periscope | facebook | instagram | youtube | snapchat {cheznoelle} | spotify | pinterest

26 e tá tudo diferente

Pouco depois das 13h de 17/12/1989 nascia Stephanie. Minha mãe queria parto normal, mas era domingo de eleição, e o médico disse que eu havia sentado. Tinha que ser cesárea, afinal de contas. Stephanie Noelle (no RG eu sou Noeli, porque papai não levou em consideração as recomendações da minha mãe, que queria que eu me chamasse Noelle igual a Noelle Page, do Sidney Sheldon), Sagitário, ascendente em Peixes, lua em Leão. Aventureira, livre, com a cabeça em tantos sonhos que se esquece às vezes de pôr os pés no chão para realizá-los, mais egocêntrica e sensível à opinião dos outros do que gostaria.

aniversario ste noelle3

Estou ficando mais velha hoje, e tudo tá meio estranho. Tá tudo muito diferente do que sempre foi. Eu sinto diferente, eu vejo diferente, eu vivo diferente.

Durante muitos anos esse dia foi o dia mais feliz do mundo pra mim, e eu sabia exatamente como eu me sentiria. Aquele quentinho, aquelas pessoas todas ao meu redor, aquela tradição de ir jantar no mesmo lugar, aquela festa da qual todo mundo gostava. Foram muitos anos assim. E antes desses, houveram outras tradições. Outros costumes. Outros abraços que mesmo que fossem conhecidos, eram deliciosos. Eram esperados e me transportavam para aquele lugar onde nada no mundo pode me fazer mal.

Esse ano foi tudo diferente. Tudo. Está sendo.

aniversario ste noelle4

Não tem tradição, não tem quentinho no coração, não tem nada ao qual eu estava acostumada. E é estranho, porque eu gosto muito do novo, mas dá um medo de não ser tão legal quanto era. Tem uma parte de mim que enxerga em tudo o que passou a receita pura e simples da felicidade. E daí fica com aquele pé atrás de que não vai ser tão legal assim.

Vai sim. Na real, vai ser diferente. E vai ser bom sim. Tá sendo. Tá sendo gostoso andar por essa corda bamba, sem saber ao certo quando é que vou pisar em terra firme de novo. Claro que eu ainda não ando com toda a segurança do mundo. Eu dou umas cambaleadas boas, mas eu sigo em frente. E a cada passo é uma sensação nova.

Tem tantas pessoas novas e maravilhosas na minha vida nesse momento que eu não ouso dizer que esse aniversário está sendo em alguma instância menos legal do que os outros. É diferente. Antes, meu coração tinha uma parte dele em uma outra pessoa. Hoje, meu coração tem um monte de outros pedacinhos em várias outras pessoas, meus amigos que cuidam de mim e me enchem de amor e carinho e inspiração.

aniversario ste noelle

No começo desse ano, exatamente um mês depois de eu completar 25, eu me mudei pra uma casa com meninos desconhecidos. Hoje, eles são minha família. Meu lar. Os rostos conhecidos cujos sorrisos, as risadas, as piadas, os jantares, os drinks, os filmes, as noites de domingo deitados nos sofás e os cafés da manhã preguiçosos iluminam meu mundo. Simon, Hugo, Nico e Alex, ninguém poderia dizer o espaço que vocês ocupariam na minha vida.

Cinco meses depois de eu completar 25 anos, eu conheci uma mocinha que entrou como quem não quer nada na minha vida, dizendo que tinha gostado muito mais de mim depois de me ver dançando pole dance no snap da Dani Noce. Hoje, se ela sair da minha vida, um pedaço de mim vai junto. As pessoas chamam ela de Natalia, os amigos de Taia, mas eu chamo de Gêmea, mesmo. A gêmea focada, melhor do mundo no que faz, cheia dos repertórios das músicas que importam, sincera sempre -brigada!- e presente pra absolutamente tudo. Beber um rosé pra comemorar ou um tinto pra chorar as pitangas. Como é que pode duas pessoas terem uma conexão tão gigantesca tão rápido? Eu não sei a resposta, mas eu tenho o exemplo bem aqui.

aniversario ste noelle2

E como tem essa estrela gigante em cima da minha cabeça que é tipo um farol que atrai só gente maravilhosa, o que era uma pessoa querida e muito fofa que topou me ensinar a fazer meu bolo de 25 anos em um vídeo quando a gente nunca tinha se visto na vida real virou essa amiga foda que fez meu bolo de aniversário de 26, com recheio de brigadeiro e morango (meu preferido), que é eufemismo pra amor & carinho, como todos sabemos. A Dani é essa mulher tão foda, tão talentosa e tão fazedora das coisas acontecerem que tem hora que nem sei se faço meu papel de amiga ou pego um bloquinho e caneta e começo a anotar tudo o que ela ensina só de estar por perto.

Teve uma época em que eu achei que tinha que ter conquistas e coisas e viagens pra listar quando completasse uma idade, pra sentir que tinha valido a pena. E se eu olhasse pro meus ano e visse que não tinham acontecidos coisas que eu pudesse citar de maneira objetiva, eu não estava indo pelo caminho certo.

Cheguei aos 26 com muitas dúvidas, mais do que jamais tive. Mas tenho uma certeza: o que importa, verdade-verdadeira, são as pessoas. As experiências, as memórias, os momentos que eu passar ao lado delas. Às vezes vai ter uma foto pra marcar aquilo. Na maioria das vezes, não. E dane-se. Tá tudo no meu coração.

Ele, aliás, cresce exponencialmente a cada aniversário que passa. Tá cheio de amor, é claro.

coracao

twitter & periscope | facebook | instagram | youtube | snapchat {cheznoelle} | spotify | pinterest

É 25, é 25!

Faz pouco mais de um mês que comemorei, ao lado de David e Augusto (eles fazem aniversário dois dias depois de mim), meus 25 anos.

Tenho essa tradição de comemorar aniversário todo bendito ano, graças a minha mãe, que ama comemorar o dela, faça chuva ou faça sol. Por mais que as pessoas digam que com o tempo a gente simplesmente não quer mais comemorar, minha mãe vai contra tudo isso. Esse ano ela faz 44 anos e tá ansiosíssima pela comemoração. Brigada, mãe, por ter me ensinado a amar meus aniversários :)

E desde que nós três começamos a comemorar juntos, nossas festas têm temas. É tão divertido! Aí a gente faz o convite, a decoração e às vezes  traje todo baseado no tema. Eu adoro :D

Todo ano eu digo que a festa foi melhor do que o ano interior, e é sempre verdade. Esse ano, no entanto, foi transcendental. Foi mágico, foi delicioso, foi incrível mesmo. A gente reuniu parentes e amigos (com a falta sentida do meu pai e de um dos meus melhores amigos, o Fer), conseguimos fazer to-do mundo dançar, teve show, teve mojito & cuba livre, teve forró, indie, rock e pop, teve muitos amigos amados e a certeza de que é isso que importa. Estar rodeada de gente maravilhosa, que nos quer bem, nos faz bem e que a recíproca é muito verdadeira.

[soundcloud url=”https://api.soundcloud.com/tracks/153428273″ params=”color=8fe1e9&auto_play=false&hide_related=false&show_comments=true&show_user=true&show_reposts=false” width=”100%” height=”166″ iframe=”true” /]

stephanie25
stephanie25_01Augusto, David e Matheus, três dos meus meninos preferidos no mundo

stephanie25_02:D

stephanie25_18Tigrinho, pros íntimos hahaha

stephanie25_11

stephanie25_04Rafa, Marina, Lucas e uma Stephanie ~curtindo a música~ 

stephanie25_05me fazem um bom gigantesco

 

stephanie25_06mulheres da família: mãe <3, a comadre Mariana, a sobrinha Helena, a cunhada Mariana, euzinha, a sogrinha Célia, a cunhada Carol, a sobrinha Maria e a cunhada Thaio :)

aniversario25_novo2Lucas, o latin lover :D

stephanie25_03a mais especial 

stephanie25_09minha vovó Jandira, mãe da minha mãe e minha madrinha :)

stephanie25_19

mais família <3 Na fileira de cima, Jéssica e o namorado Gunther, e embaixo, Júlia, Victória, Dellis e Bianca :) 

stephanie25_23

e mais família aqui :D Na frente a Goreti e o Toninho, minha mãe Beth, minha prima Marcela e minha tia Nina, minha vó Jandira e do lado dela minha vovó Santa, mãe do meu pai, e a Samara <3 

stephanie25_21

stephanie25_22

stephanie25_12Rafa Ciscati, esse maravilhoso amigo

stephanie25_13Karen, Carol e Ariane, três belas :D

stephanie25_16

stephanie25_17

 

stephanie25_14

stephanie25_10<3

Todas as fotos desse post são da Babi

{Top & Blazer Topshop}

{Saia Zara}

 Espero que tenham gostado :)

Bisous e até mais!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_tw TwitterfbFacebookvday_igInstagramytYoutube

Meu bolo de aniversário com a Dani do ICKFD

Tão legal quando a gente consegue realizar sonhos, né? Um deles era aprender a fazer o meu próprio bolo de aniversário. O mais legal de tudo? Juntar isso com outro sonho meu: gravar com a Dani Noce, confeiteira mais fofa desse Brasil e dona do canal de culinária mais fofo também (e de um blog igualmente… fofo haha!).

Fiquei tão feliz quando ela topou que nem conseguia pensar direito no que eu queria no meu bolo. Aliás, eu não sou super fã de doces, e meus bolos de aniversário são sempre escolhidos pela minha mamãe (que aparece no vídeo <3), então meu bolo foi bem normal – exceto que feito pela Dani hahaha! – mas fazê-lo foi legal demais da conta!

Queria agradecer mais uma vez a Dani por ter topado e espero que cês gostem!

[youtube=http://youtu.be/lx9qOJ39Nho]

Bisous!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_tw TwitterfbFacebookvday_igInstagramytYoutube

blogloving