Os 27 chegaram

Eu escrevo sobre meu aniversário aqui há alguns anos. Teve o dos 24 anos, todo otimista, com uma lista das 24 coisas mais legais que haviam me acontecido até então. O dos 25 anos, falando sobre como os dez anos que se passaram desde a pior época da adolescência me fizeram bem. E o dos 26 anos, sobre como tudo estava muito diferente.

Hoje eu completo 27 anos e esse é meu aniversário mais esquisito de todos. Mais diferente. Se ano passado foi diferente, esse então, nem se fala.

O ano todo foi revestido de uma atmosfera de bad vibes. Na minha vida e na de muita gente que eu conheço. Foi ruim pra mim, mas foi pra todo mundo, acho. Eu passei o ano todo me sentindo estranha, sentindo que tinha um monte de coisa fora do lugar, sentindo que eu não tava me encontrando, me encaixando, fazendo o que eu tinha que fazer.

Fui monotemática, quase entrei em depressão, amei demais e amei as pessoas que não me amaram de volta. Errei, errei, e errei de novo. Mas aprendi. Nossa, quanto aprendizado. Dei murro em ponta de faca, chorei como nunca, doeu como nunca, também. Me vi perdida, me vi sem chão.

Me vi sentada no escuro querendo voltar pra casa -e eu estava em casa.

Me vi querendo desistir de tudo. Querendo ser menos. Querendo parar de sonhar. Parar de querer chegar a algum lugar. Me vi questionando o que eu era capaz de fazer mais vezes do que o aceitável.

Fui me enrolando numa montanha de coisas por resolver. Não queria lidar com nenhuma delas. Queria que elas só desaparecessem. Que cansassem de bater à minha porta, e finalmente virassem às costas e fossem embora.

As últimas semanas antes do meu aniversário foram bizarras.

Calma, vou contar de antes. Uns dois meses antes do meu aniversário.

Outubro, o começo do fim.

Sabe quando a gente sente que finalmente tá saindo daquele torpor? Que, finalmente, a sorte tá apontando pra você? Que você vive dias incríveis, momentos sensacionais, sensações indescritíveis? E que tudo, pouco a pouco, vai entrando nos eixos? Esse foi meu outubro. Era como se eu estivesse finalmente colocando a cabeça pra fora do mar, depois de meses mergulhando cada vez mais fundo. Foi revigorante. Foi bom demais sentir o vento de novo no rosto. Sentir. Como é bom sentir.

E aí tudo veio abaixo de novo.

Entre no mês do meu aniversário me sentindo um lixo. Sentindo que pronto, era aquilo. Chega, acabou, desiste, Stephanie. Fui pro fundo do poço e quando tava quase descobrindo que meu poço tinha subsolo, decidi que não. Eu não sou essa pessoa. Eu sei muito bem como eu gosto de me sentir, eu sei muito bem o que eu quero atingir e como eu quero. Eu não vou desistir. Não agora. Não depois de tudo. Não com tanta gente maravilhosa -que eu conheço ou que me conhece <3- existindo perto de mim.

Juntei todas as minhas forças e emergi de novo. E o vento nunca foi tão bom. E o cheiro de terra firme nunca tão próximo.

E cheguei ao dia de hoje, 17 de dezembro de 2016, feliz comigo. Feliz com o que está por vir. Com vontade, com garra, com muito fôlego. Doida pra ver as coisas acontecerem, doida pra fazer as coisas andarem.

Está tudo absolutamente diferente.

Esse ano eu não comprei roupa pra usar na festa, não investi em decoração, não gastei um monte de dinheiro pra deixar a chácara toda bonitinha. Eu não passei o dia correndo de lá pra cá querendo que tudo ficasse impecável pras fotos saírem maravilhoas. São quase 19h e eu tô indo pro banho e não fiz a unha. Eu não estou preocupada com isso. E pela primeira vez, em muitos, muitos anos, eu não estou ansiosa. Ansiosa ruim. Ansiosa nervosa. Ansiosa como eu sempre estivesse em todas as outras vezes.

Eu tô leve.

Eu só quero ver meus amigos, beber umas caipirinhas, dançar abraçada com cada um que faz valer a pena viver minha vida. Cortar o bolo olhando pra carinha de cada uma dessas pessoas que faz questão de estar próxima de mim. Que me ama e que eu amo muito. E dançar mais um pouco. E ver o sol nascer deitada na grama que vai colar nas minhas costas por causa do suor, e olhar pro lado e encontrar conforto.

É isso que vale a pena.

Todo o resto é acessório.

E quando a gente percebe isso, e a gente solta tudo o que nos segurava lá embaixo, a gente consegue nadar pra superfície.

Eu sou a mesma Stephanie, mas eu estou diferente. E eu estou bem. E estou feliz :)

Obrigada a todo mundo que me acompanhou por aqui ou pelo youtube ou pelo Insta. Cês fazem parte de tudo isso e me fazem muito bem, também <3

stephanie-aniversario-01Foto da Pryscilla Dantas

coracao

twitter & periscope | facebook | instagram | youtube | snapchat {cheznoelle} | spotify | pinterest

FacebookTwitterTumblrGoogle+FlipboardCompartilhe :)

A invasão britânica nos nossos 24 anos

Sábado que passou foi nossa festa de aniversário. Digo nossa porque desde que eu e David começamos a namorar, temos feito uma única festa, eu + ele + augusto (o irmão gêmeo do Dá!) por motivos de: eu faço dia 17 e eles dia 19. Ou seja: reunimos os amigos numa mesma data _e esse período é conturbado, geral vai viajar, então não há datas a serem desperdiçadas haha_, gastamos dinheiro juntos e nos divertimos o triplo.

Esse ano foi o melhor ano (desculpe outros anos, mas foi). Não sei bem porque, só sei que foi ainda melhor. A gente resolveu fazer na chácara da Carol, nossa amiga, que cabe mais gente e não tem problema com barulho, e eu me empolguei muito com a decoração o/ Minha mãe e eu fomos na 25 na semana antes, descobrimos uma imensidão de coisas de bolinha e zero coisas com o tema que a gente tinha escolhido (sim, a gente fez 24 anos e teve festa com tema PORQUE SIM). Portanto improvisamos e foi ótimo. Aliás, tive uma ideia de ultima hora que se mostrou maravilhosa: coroas e gravatinhas pra geral (nessa vibe monarquia e tal haha). Foi um sucesso _na hora não tinha certeza se era uma ótima ideia ou uma péssima ideia_, como vocês podem ver nas fotos. Agradecimento especial ao meu pai, que passou o dia todo comigo me ajudando com o que faltava e montando a decoração comigo :)

No mais, gravei vídeos do processo mas fiquei tão empolgada e entretida na festa que esqueci de filmar a festa em si, só o fim POFT. Mas vou subir mesmo assim, mais pra frente, quando conseguir editar. HEHE

Senhoras e senhores, as fotos ;) Senta que lá vem um montão!

Espero que gostem, e os créditos vão pra melhor amiga/melhor fotógrafa Babi Carneiro. Mentira, o (Rafael) Ciscati também tirou algumas ;)

abre

british invasion 065tudo branco, vermelho e azul (podia ser frança ou EUA, mas era uk mesmo haha)

british invasion 021sou a maluca das luzinhas, então enchi todas as pilastras com elas ;) (e a bateria também haha)

british invasion 013teve show <3 augusto-vocalista e david-baterista

british invasion 042a gente de plateia :D (a senhora muito bonita no canto esquerdo é a mãe do david, a célia!)

british invasion 050na música que o Dá cantou pra mim <3 “Heroes”, do David Bowie…

british invasion 057…e depois da música, eu toda emocionada ;)

british invasion 004NHAM!

british invasion 072minha sobrinha, Helena, a criança mais esperta e fofa que eu já conheci

british invasion 094Fer e sua cara de “já estou muito pra lá de Bagdá”, mas ele nem fava ainda, foi só o momento haha. Além do Fer, tem o Luís, a Ariane e a Thati no fundo, Lau, Carol e Meri no cantinho e eu, com cabelos malucos

british invasion 088

british invasion 113

british invasion 097apenas amo loucamente esses dois <3

british invasion 152e esse mocinho aqui

british invasion 147“I, I will be king | And you, you will be queen”

british invasion 002além das luzinhas, sou a louca das velas e espalhei várias pela festa

british invasion 120aquele quadro que todo mundo conhece, na entrada da festa

british invasion 103

british invasion 003outro motivo de orgulho: os vazinhos! Tão fácil (e nada caro) de fazer e fica uma graça. Colocamos um em cada mesa dos convidados, algumas nessa mesa do bolo e mais algumas no balcão :)

british invasion 128Ciscati, esse amigo tão especial e imensamente querido

british invasion 125HEHE :D

british invasion 067♥♥♥

british invasion 108Minha mãe!

british invasion 219

british invasion 053Matheusão (aquele do post sobre autoestima!) e João Paulo

british invasion 153Essa é a Dona Santa, minha vó, mãe do meu pai! Maravilhosa! Não ficou um arraso de coroa?

british invasion 156E essa é a Dona Jandira, mãe da minha mãe e minha madrinha, toda elegante e linda <3

british invasion 159as duas acertaram em olhar pra câmera errada, yey!

british invasion 110a amiga maravilhosa-genial-super-sensacional Babi!

british invasion 171

british invasion 177parabéns pra nós :)

british invasion 175é pique, é pique, é hora, é hora

british invasion 196

british invasion 194“faz um desejo, gente!”

british invasion 211

british invasion 222garçonete do futuro hahaha e o vestido preferido do mundo. aliás, primeiro ano desde 2009 que eu não uso preto no meu aniversário. Esse vestido fez sucesso, todo mundo queria por a mão hahaha.

british invasion 208

british invasion 216

british invasion 200como não amar esses dois? 

british invasion 260amo quando as amigas usam batom vermelho :) aqui a thati e a lau

british invasion 250feexxxxta!

british invasion 170_2HEHEHE

british invasion 241Luis, Meri, Carol e Lau, todos muito belos :D

british invasion 263<3

british invasion 266

british invasion 256

british invasion 238

british invasion 268*smack*

british invasion 290meus homens

british invasion 288

british invasion 291<3 <3 <3

british invasion 275

british invasion 294

british invasion 297

british invasion 082

Espero que tenham gostado! Ah, e que vocês tenham tido um ótimo Natal e tenham um ano novo ainda mais incrível!

Para ver mais fotos dos aniversários dos outros anos, só clicar aqui.

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_tw TwitterfbFacebookvday_igInstagramytYoutube

blogloving

Du Jour ~ Saiota verde

I came here with a load
And it feels so much lighter
Now I’ve met you
And, honey, you should know
That I could never go on
Without you
Green eyes

The green eyes
Yeah, the spotlight
Shines upon you
And how could
Anybody
Deny you?

Honey, you are a rock
Upon which I stand…

{Green Eyes – Coldplay}

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=gmyq9tIiu8g&w=500&h=50]

saiaverde01as fotos foram tiradas há mais ou menos uns 3 meses, mas só agora eu consegui postar :(

saiaverde09

saiaverde03

saiaverde06tão vendo minha bolsa livro? *-*

saiaverde12

saiaverde02

saiaverde10

saiaverde04essa espadrille é meu sapato preferido no verão <3  e o colarzinho de cervo, que mostrei no vídeo do pé de meia de julho & agosto.

saiaverde07

saiaverde08pulseiras e anéis de mil lugares diferentes, sempre uso eles

saiaverde05ó a bolsinha :D

saiaverde13

saiaverde14muito animada com a bolsa-livro hahaha

{FOTOS da Babi Carneiro}

Wow! Parece que faz um tempão, e faz mesmo, que eu não posto look. A minha fiel escudeira & melhor amiga Babi fez a gentileza de fotografar no tempo em que ainda tínhamos tempo, mas depois disso, cadê tempo até pra postar?

Essa é provavelmente minha série preferida das que eu postei até agora, amo o lugar (um bosque (?) na usp), amo o look, amo a bolsa-livro que ganhei do Caio, o queridíssimo coordenador de produção de moda lá da L’Officiel e que eu sinto muita falta, amo a espadrille, enfim, amo tudo! Postei esses dias no instagram (me sigam <3 @chez_noelle) um look com a mesma saia, mesmo sapato, mas outra proposta.

saiota verde

Eu tenho adorado essas saiotas, justas e que abrem um voluminho só na barra. Comprei essa (e as outras duas que tenho) na minha viagem à Paris, mas tem em todo lugar né. Ah, e por falar em créditos, a saia é Zara, a blusa branca é H&M (e a do insta é do meu namorado), a bolsa-livro é Thelure e a espadrille eu não lembro :( Comprei numa loja de sapatos lá em Mogi e esqueci a marca, mas deve ser Via Marte ou algo do tipo.

Porque pra mim verão pede saia, pede cor, pede sandálias bonitinhas (e unhas coloridas quando os dedos tão de fora), pede diversão ;) Ah, e pede facilidade também, nada de complicação.

Ah, e a música é especial pro meu namorado/melhor amigo David, porque hoje faz 5 anos e 11 meses (!!!) que a gente tá um do ladinho do outro e num dos primeiros emails que ele me mandou, ele me mandou essa música. Te amo, tigrinho <3

Gostaram do look? Tavam sentindo falta? (hahahaha)

E me falem se vocês querem ver mais posts assim!

Bisous e boa semana!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_tw TwitterfbFacebookvday_igInstagramytYoutube

blogloving

Um pouquinho sobre a história da sapatilha… e eu!

Eu sou uma pessoa salto. Uso salto o tempo todo, praticamente. Eu gosto, amo, uso, acho a maioria dos que eu tenho confortáveis, e quando não são, eu me esforço um pouquinho hahaha. Mas fora salto, eu só uso sapatilha. Tenho só um tênis (de glitter dourado, ainda haha!), só uma rasteira e fim. Daí que quando eu escrevia pra Oficina de Estilo, eu fiz um post sobre a História da Sapatilha.

Foi fofo, eu adorei! Aí fui convidada pra contar um pouco dessa história no Universo da Moda, programa do Max Fivelinha. Ai, achei tão legal! E essa semana foi ao ar, e já tá disponível pra ver online! Mas quem quiser ver na TV, passa domingo de novo, no canal Mega TV, às 21h30 :)

Não dá pra botar o vídeo, mas quem quiser ver, é só clicar aqui. É o segundo vídeo, que chama “História das Sapatilhas” :)

Aí né, não podia deixar de colocar aqui o textinho que eu fiz pra Oficina :)

ELash_hs1_e1

Tem essa ideia de que que ‘para a mulher ser sensual, ela precisa estar sobre um salto tipo arranha-céu’. Mas olha só, Brigitte Bardot, uma das mulheres mais sensuais da história, gostava mesmo era de sapatilha. Sabia?

E até o século XVI, ninguém curtia muito salto, e até os homens usavam sapatinhos que lembram as tais sapatilhas de hoje. Tudo mudou quando Catarina de Médici, rainha consorte da França durante o século XVI, pediu ao sapateiro real que colocasse 2 cm de salto em seus sapatos de casamento, e o mundo inteiro quis copiá-la. Depois disso, as sapatilhas só teriam fama novamente graças à essa outra francesinha, a Brigitte Bardot.

sapatilhas_oficina de estilo(imagem do post publicado na Oficina de Estilo)

Ela, que fez 12 anos de ballet clássico, pediu para Rose Repetto – criadora da marca de produtos de ballet Repetto, que criava para top bailarinos como Nureyev e Mikhail Baryshnikov – que fizesse um modelo de sapatilha que ela pudesse usar no dia a dia. O resultado foi o modelo Cendrillon, criado em 1956, que BB amou loucamente e usou numa cena em que dançava mambo no filme “E Deus criou a Mulher”, de Roger Vadim, e também no tapete vermelho do Festival de Cannes daquele ano. A cereja do bolo veio um ano depois, quando a também queridinha Audrey Hepburn usou “ballerinas” no filme “Cinderela em Paris” – inclusive com vestido de gala. Após ser destronada, a sapatilha voltou à nobreza da moda por meio de duas rainhas modernas (daquela época!), com estilos diferentes e complementares.

Enquanto esses sapatinhos têm toda a doçura das bailarinas, a própria Brigitte Bardot provou que nem por isso elas deixam de ser sedutoras. E se a gente pensar que toda bailarina é extremamente delicada “por fora”, mas possui uma estrutura super forte e poderosa “por dentro”, usar sapatilhas podem fazer com que a gente se aproprie dessas características e se sinta um pouquinho assim também, todo dia!

O original tá aqui :)

bisous2

ps: a promo de “Bling Ring” acaba hoje!!!

coracao

Pra acompanhar o Chez Noelle:

vday_tw TwitterfbFacebookvday_igInstagramytYoutube

Noelle-Vlog: Dois livros legais que li esse ano {até agora}

Tava com a macaca e queria por que queria gravar um vlog. Também tô com vontade de gravar tutorial, mas é um esquema mais profissa, precisa da câmera e da luz boa, aos poucos a gente chega lá (ou eu troco de câmera ou compro logo uma nova haha). Pedi sugestão lá na página do facebook e as meninas deram dicas muito sensas, que eu vou tentar pôr em prática também. Um dos pedidos é “um dia na redação” haha. Eu tenho um pouco de vergonha de gravar na frente de outras pessoas haha, mas vou tentar vencer minha timidez (HAHAHA, SUPER TÍMIDA só que não).

Como é meu primeiro vídeo falando sobre livros eu fiquei meio… haha, perdida, sei lá. Assistindo de novo tinha mais coisas que eu queria falar, mas eu esqueci na hora o De qualquer maneira, espero que vocês gostem!

Ah, eu tremo e tremo muito! Faz parte do meu ser haha. Então desculpem pelas imagens cheias de estabilidade só que ao contrário.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=-MkpKmhRYcc&w=700&h=394]

Tô usando no vídeo:

Batom Schiap, da Nars

Esmalte que não achei o nome, mas é da coleção da Le Postiche pra Hits Speciallità

Post que eu falo de “As Vantagens de Ser Invisível”: só clicar aqui.

Gostaram? Deixem suas opiniões bonitinhas nos comentários e podem sugerir temas para os próximos ;D

Bisous, até mais!